Vídeos

Loading...

segunda-feira, 30 de abril de 2012

RESULTADO: II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO

No sábado, dia 28 de abril, uma multidão ocupou as arquibancadas e a quadra da Estação do Forró para prestigiar o II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO, na Terra de Lampião e Capital do Xaxado, com suas torcidas organizadas vindas de outros estados para dar apoio aos seus representantes. A abertura foi feita por uma dupla de violeiros repentistas ZÉ CARLOS DO PAJEÚ e EDEZEL PEREIRA, dando o clima da festa. Em seguida, um a um, foram se apresentando os concorrentes com um repertório difícil de escolher o melhor. Aí coube a árdua missão a Comissão Julgadora formada por Wilson Seraine, Maestro Colorau, Aluizo Nunes, José Teles e Rafael Cortes, que num placar difícil, apontou o seguinte resultado:

1º lugar: NAS ESTRADAS DE BOM NOME
Autor: Escurinho
Intérprete: Escurinho
Cidade: João Pessoa/PB

2º lugar: EM VERSOS QUEBRADOS, MULHER NO CANGAÇO
Autor: João Sereno e Maviael Melo
Intérprete: Carlinhos Pajeú
Cidade: Juazeiro/BA

3º lugar: FLORES DO CANGAÇO
Autor: Tavinho Limma e Sandro Livarck
Intérprete: Tavinho Limma e Sandro Livarck
Cidade: Ilha Solteira/SP

4º lugar: O BRASIL, O CANGAÇO E LAMPIÃO
Autor: Rui Grude
Intérprete: Rui Grude
Cidade: Serra Talhada/PE

5º lugar: UM CANGACEIRO E UM CÃO
Autor: Artur Silva
Intérprete: Laerson Alves
Cidade: Guarabira/PB

Melhor Intérprete: NAS ESTRADAS DE BOM NOME
Autor: Escurinho
Intérprete: Escurinho
Cidade: João Pessoa/PB.

Ao final do anuncio do resultado o público e todos os concorrentes entraram no forró com os shows de OS PARICEIROS e ANCHIETA DALI.

O II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO teve o patrocínio do FUNCULTURA / FUNDARPE / SECRETARIA DE CULTURA / GOVERNO DE PERNAMBUCO, com o apoio da PREFEITURA DE SERRA TALHADA / SESC/PE, KM Produções.

Realizado pela Fundação Cultural Cabras de Lampião e Centro Dramático Pajeú.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

ATRAÇÕES CONVIDADAS - II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO

OS PARICEIROS - O grupo firmou-se como tal em Abril de 2003, através de uma proposta clara na área da arte e cultura musical, enriquecendo ainda mais a cidade de Arcoverde-PE, conhecida como importante berço da cultura popular. É nesse espaço de efeverscência cultural que Os Pariceiros se inscrevem, apropriando-se do que melhor sabem fazer: produzir arte; construir sonhos possíveis, plantar nova sementes artísticas no cenário da música popular nordestina. A contribuição cultural dos Pariceiros é de grande valor para o público, por se tratar de um trabalho sério, com objetivos que valorizam uma sociedade rica em costumes, crendices populares, em manifestações culturais. Esse trabalho só vem a confirmar o esforço de artistas interessados em produzir músicas de qualidade retratada através de rimas, métricas e sonoridade singulares e que através de suas canções, sensibilize a sociedade a optarem por boa escolha musical.
ANCHIETA DALI -  Pernambucano do Sertão, um cantador nordestino que aborda o ser humano e a natureza num vasto cordel de emoções musicais. Lírico, rústico, com sotaque refinado de poética social apurada, navega entre suor e chuva aguando leirões de rimas e audácia numa fina sertania forrozeira. Hoje com mais de uma centena de músicas gravadas, seu trabalho passeia pela voz de: Elba Ramalho, Flávio José, Jorge de Altinho, Maciel Melo, Santanna, Alcymar Monteiro, Amelinha, Xangai, Cristina Amaral, Geraldinho Lins, Irah Caldeira, Flávio Leandro, Nádia Maia, Paulinho Leite, Josildo Sá, Bia Marinho, Paulo Matricó, Chico Balla, Carlos Villela, Edigar Mão Branca e muitos outros nomes do nosso nobre cancioneiro. Trilhando um caminho de variedades rítmicas: xote, xaxado e baião além de tantos outros “fuleios”, o poeta Dali, alinha-se ao senso crítico do romance tropical nordestino, onde criou seu próprio estilo. Alternando-se pelos gêneros Forró e/ou Cantoria, realiza shows por todo Brasil, dando ênfase à região nordeste. Como herança do seu pai “Mestre Conrado”, seresteiro aboiador e de tantos outros vates, Anchieta carrega em sua verve musical um semblante de doces melodias e originalidade no verso, decantando suas raízes culturais num formato filosófico e charmoso.  A influência argüida em seu trabalho é a derivação inspiradora de gênios como: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Elomar, Xangai, Vital Farias, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e um sem-fins de iluminados que habitam nosso planeta.

II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO - PROGRAMAÇÃO


O II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO, que acontecerá em Serra Talhada/PE, no dia 28 de abril de 2012,  é um momento de reafirmação e reforço na identidade cultural do homem nordestino, tendo como ponto de partida a música e a história. Poucos momentos são tão especiais como este, portanto, venha brindar conosco, curtindo excelentes músicas, com compositores e intérpretes de alto nível, com uma platéia calorosa e aconchegante. É assim a Terra de Lampião e Capital do Xaxado. No espaço do evento, na ESTAÇÃO DO FORRÓ, antiga Estação Ferroviária, não faltará  o artesanato, comidas regionais, uma boa poesia cordelesca, barracas com bebidas, regado a uma paixão infinda pela cultura do sertão.
Com o patrocínio do FUNCULTURA / FUNDARPE / SECRETARIA DE CULTURA / GOVERNO DE PERNAMBUCO, com o apoio da PREFEITURA DE SERRA TALHADA / SESC/PE, KM Produções, a Fundação Cultural Cabras de Lampião apresenta o II FESTIVAL DE MÚSICAS DO CANGAÇO.
19:30 – Abertura. Participação Especial: Violeiros repentistas ZÉ CARLOS DO PAJEÚ e EDEZEL PEREIRA.
1.    LEMBRANÇAS DO CANGAÇO
Autor: Mauricio Santos
Intérprete: Chik
Cidade: Recife/PE
2.    LEMBRANÇAS DE EU, VIRGOLINO
Autor: Luís Cláudio Ribeiro (Casquideo)
Intérprete: Tavinho Limma
Cidade: Alfenas/MG
3.    UM CANGACEIRO E UM CÃO
Autor: Artur Silva
Intérprete: Laerson Alves
Cidade: Guarabira/PB
4.    O BRASIL, O CANGAÇO E LAMPIÃO
Autor: Rui Grude
Intérprete: Rui Grude
Cidade: Serra Talhada/PE
5.    ALAÚDE
Autor: Cley Lunna e Odália Araújo
Intérprete: Cley Lunna
Cidade: Santana/AP
6.    O TRAJETO DO REI
Autor: Henrique Brandão
Intérprete: Aldeir Bezerra
Cidade: Serra Talhada/PE
7.    ESTRADEIRO
Autor: Hélio Crisanto e Zeca Brasil
Intérprete: Lysia Condé
Cidade: Parnamirin/RN.
8.    CORDEL CELESTE
Autor: Laércio Beethoven
Intérprete: Laércio Beethoven
Cidade: Salvador/BA
9.    AMOR CANGACEIRO
Autor: David Farias, Felipe Burgos e Roberta Aureliano
Intérprete: Roberta Aureliano
Cidade: Maceió/AL
10.    A ÚLTIMA NOITE DE LAMPIÃO
Autor: Jamil Santos
Intérprete: Jamil Santos, Antonio  Cabral e Nathália Ramos.
Cidade: Jaboatão dos Guararapes/PE.
11.    EM VERSOS QUEBRADOS, MULHER NO CANGAÇO
Autor: João Sereno e Maviael Melo
Intérprete: Carlinhos Pajeú
Cidade: Juazeiro/BA
12.    RIACHO DE SANGUE
Autor: Ray di Serrat e Tico de Som
Intérprete: Ray di Serrat
Cidade: Serra Talhada/PE
13.    SEMENTE DO CANGAÇO
Autor: Zé Alberto
Intérprete: Zé Alberto
Cidade: Exu/PE
14.    CONVITE A LAMPIÃO
Autor: Edmilson Providência
Intérprete: Ernesto Teixeira
Cidade: Cratéus/CE
15.    PORRADA
Autor: Igor Bruno
Intérprete: Igor Bruno
Cidade: Recife/PE
16.    SAUDADE DE PROSSEGUIR
Autor: Zebeto Correa
Intérprete: Zebeto Correa
Cidade: Belo Horizonte/BH.
17.    FLORES DO CANGAÇO
Autor: Tavinho Limma e Sandro Livarck
Intérprete: Tavinho Limma e Sandro Livarck
Cidade: Ilha Solteira/SP
18.    BRILHO DE LAMPIÃO
Autor: Plínio Fabrício
Intérprete: Charles Valença
Cidade: Custódia/PE
19.    NAS ESTRADAS DE BOM NOME
Autor: Escurinho
Intérprete: Escurinho
Cidade: João Pessoa/PB
20.    O CANGAÇO E A NOVA ORDEM SOCIAL
Autor: Gouveia Filho
Intérprete: Gouveia Filho
Cidade: São Paulo/SP
SHOW COM:  OS PARICEIROS e ANCHIETA DALI.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

HOMENAGEM PRA ANILDOMÁ NO PERNAMBUCO EM DANÇA

No dia 25 de abril o GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO estará se apresentando no Teatro Santa Isabel, no Recife, no Festival Pernambuco em Dança, que objetiva  promover, divulgar, valorizar e comemorar a dança no Estado de Pernambuco, em uma união de escolas, academias, companhias e grupos amadores e profissionais de dança em todos os seus segmentos. Com isso, o evento dará maior visibilidade à produção na área da dança, estimulando a formação de novas plateias e valorizando a cadeia produtiva da Dança. A expectativa é que cerca de 30.000 (trinta mil) pessoas tenham acesso ao Festival Pernambuco em Dança 2012. Na oportunidade ANILDOMÁ WILLANS DE SOUZA será homenageado por meio do Troféu e Diploma Construtores da Dança em Pernambuco. Esta homenagem é feita a todos que contribuem de forma direta ou indireta com o desenvolvimento da dança no Estado de Pernambuco, promovido pelo Conselho Brasileiro da Dança (CBDD), Conséil International de La Danse (CID-UNESCO) e Delegado Regional de Pernambuco.

O MASSACRE DE ANGICO - TOMANDO FORMA

Nos dias 26 e 27 de março, segunda e terça feira, o elenco completo do espetáculo O MASSACRE DE ANGICO – A MORTE DE LAMPIÃO esteve reunido com o diretor José Pimentel e o autor Anildomá Willans de Souza, para gravação do texto, haja visto ser dublado. Uma verdadeira jornada de trabalho suado e cansativo fez dos stúdios da CAMMAR o campo de ressurgimento – em áudio  - dos últimos momentos de Lampião e Maria Bonita na grota de Angico. A produtora executiva do projeto, Cleonice Maria e o  assistente de direção, Isaltino Caetano,  não arredaram o pé do local, observando os desenvolvimentos das ações.  O Karl Marx , que fará Lampião, e a Roberta Aureliano, que viverá a Maria Bonita, contaram com a contribuição do cantor e compositor Rui Grúde, para a parte musical da peça. O espetáculo terá sua estréia no dia 19 de julho/2012, em Serra Talhada, na Estação do Forró. Será, sem dúvidas, o maior espetáculo ao ar livre do sertão.

CULTURA LIVRE NA FEIRA

ARTISTAS NA FEIRA – As feiras livres nas cidades pernambucanas transformam-se em espaço de atividades culturais numa iniciativa da Secretaria Estadual de Cultura.  É o PROJETO CULTURA LIVRE NAS FEIRAS, que tem como objetivo resguardar e potencializar a cultura local e regional dos feirantes e artistas. Aqui em Serra Talhada acontece toda segunda feira, dia da feira livre, na Área de Alimentação da Feira Livre, que conta com um público diversificado entre artistas e a população local e regional.  Todas as linguagens artísticas ocupam a programação com espetáculos de teatro e dança, músicos em diversos estilos,  como Antonio Germano, Lula de São Miguel, Naldinho Carvalho, Targino do Som, Nadilson, Tony Tavares, Gilberto Poeta, Ivo Oliveira, João Valoar, Kaka e Samba de Raiz, Tico de Som, além do Grupo de Xaxado Cabras de Lampião e Mistura Pernambucano e a peça teatral Os Malefícios do Tabaco, do CDP. A cultura está onde as pessoas estão. Está parabéns a Diretoria de Cultura do município, Telma Rejane, pela articulação e mobilização dos artistas, pela parceria com a SECULT/FUNDARPE. 

CAPOEIRAS TÊM ENCONTRO NA CAPITAL DO XAXADO

CAPOEIRA MUZENZA – Em maio Serra Talhada sediará o XII ENCONTRO NORDESTINO DE CAPOEIRA MUZENZA, numa programação que começa no dia 18 e vai até o dia 20, envolvendo Oficinas de Capoeira e diversas danças populares pernambucanas, exposição de fotografias dos grandes Mestres da capoeira, como Mestre Burguês, Mestre Gegê, Mestre Bimba, Mestre Paulão e Mestre Paulão.  Não faltarão as apresentações e rodas de capoeira, espetáculo do Grupo de Xaxado Manoel Martins, Hip Hop, Mistura Pernambucana e shows com João Carlos, Pagodão, Alto Samba e Lenno do Brega. Uma diversidade maravilhosa marcará mais uma vez na cultura da Capital do Xaxado. Está de parabéns o Mestre Nêgo pela bravura intrépida em defesa da cultura na região.

CARLOS SILVA EM "JESUS & JUDAS"

O espetáculo teatral JESUS & JUDAS nos arrasta pra uma reflexão profunda. O Centro Dramático Pajeú de Serra Talhada/PE Ponto de Cultura: Oficina de Criação inova, e traz para o público uma tragédia com temática histórica e ares de modernidade; a montagem tem texto do pernambucano Adriano Marcena que é escritor, historiador, professor e dramaturgo; entre suas obras famosas destacam-se: “Trilogia da Miséria Humana”, 1995; A “Ópera do Sol - Uma Odisséia Nordestina no Sertão Pernambucano”, 1998; “Jaboatão Histórias e Lutas”, 2001; “Teatro Completo Um: textos para 1, 2 e 3 Atores”, neste volume encontra-se o texto “Jesus & Judas” escrito em 1997, escolhido pelos atores Carlos Silva e Mannoel Lima para ser trabalhado pela trupe. A grande novidade é que trata-se de uma tragédia sobre duas figuras conhecidas na história da humanidade. Seria Judas o maior traidor de todos os tempos, ou apenas um predestinado a cumprir seu papel? Seria este de fato um ser humano inescrupuloso capaz de trair seu mestre ou um pré-destinado a fazê-lo? “Jesus & Judas - Traição ou Missão?”, novo espetáculo do CDPST, mas, do que colocar em cheque: se o que houve foi traição ou o cumprimento de uma missão divina pré-estabelecida; mas do que uma peça da ínfima discussão religiosa vai além e traz um embate político que influencia os personagens a colocarem em foco as questões sociais da época, visceralmente interpelados por estes, mediante a própria valorização da vida.

A DONA DE LAMPIÃO

A triunfense Wanessa Campos,  do Jornal do Commercio, lança o seu livro A DONA DE LAMPIÃO e  promete muito mais do que comemorar os 101 anos de nascimento de Maria Bonita, a mulher que entrou para um bando de cangaceiros e dominou coração e mente do chefe.

 O livro trata, destaca e dá valor a uma mulher que, na grande maioria das biografias ou estudos sociológicos sobre o cangaço, prefere deixá-la em um lugar à parte, como adorno, às vezes como companheira e confidente, mas sempre como a mulher de Lampião.
 O trabalho de Wanessa Campos foi o de elevar Maria Bonita para o mesmo nível de Lampião ao mostrar que a sua influência sobre o bando foi muito mais do que decorativa ou mesmo de uma mulher à serviço do chefe. Sim, ela sabia bordar, e muito bem. Mas sabia costurar, cozer, alinhavar panos, vestidos, vestimentas e muitas das ideias adotadas por Lampião. 
 Foram oito anos de pesquisas, entrevistas exaustivas, leituras, muitas leituras, decifração de documentos, reconstituição histórica. Enfim um trabalho que uniu, com êxito, a investigação jornalística com a curiosidade literária e feminina. Afinal, a autora é mulher, mãe e se prepara para, proximamente assumir um novo papel, o de avó. O livro A DONA DE LAMPIÃO será lançado, em breve, aqui em Serra Talhada. Mas quem quiser adquirir antecipadamente, já está disponível à venda no MUSEU DO CANGAÇO.

EXPOSIÇÃO AGLAÉ

AGLAÉ, do fotógrafo francês JEAN-LOUIS GONTERRE. É a exposição fotográfica que está na Galeria Fernando Kehrle, no Colégio Francisco Mendes, aqui em Serra Talhada, que tem como curador Adriano Marcena, desde o dia 23 de março e vai até 23 de junho/2012.  Aglaé nomeia esse encontro entre o fotógrafo e a artista plástica Catherine Bass que constroem uma narrativa onírica e fictícia sobre uma personagem homônima no século XIX, em escolas para moças e na educação da mulher perfeita. Escolas de comportamento onde o ser humano feminino, antes mesmo de se tornar uma mulher, seria destinada aos bons modos, aos bons hábitos, às prendas domésticas e, principalmente, à devoção familiar. As imagens combinam recursos de fotografias e de intervenção plástica para criar ambientes quase mágicos. Se os observadores olharem as fotos com atenção, entretanto, perceberão que a rotina da personagem é marcada por um conservadorismo e uma rigidez moral que pode ser interpretada como cruel e desumana. A exposição é um conjunto de 20 fotografias suavemente coloridas que narram o mundo imaginário de uma menina de 13 anos, seu universo doméstico e a sua futura obrigação de mulher destinada a zelar por uma família de pelos bons modos.