Vídeos

Loading...

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

‘A GENTE NÃO QUER SÓ COMIDA’ – ARTIGO DA MINISTRA DA CULTURA, MARTA SUPLICY



A Folha publicou editorial (“Vale-populismo”, 10/1) crítico do Vale-Cultura (VC). Chama de “populismo” e promoção pessoal e eleitoreira projeto de lei que buscava aprovação desde 2009. Com a regulamentação do VC, empresas poderão passar R$ 50 a seus funcionários que recebam prioritariamente até cinco salários mínimos (R$ 3.390) para gastarem em cultura.
O Brasil nos últimos anos, com Lula e agora Dilma, tem dado passos gigantescos para acabar com a miséria. Não preciso citar os números dos que hoje comem nem dos que hoje entraram na classe média. O Bolsa Família, trucidado pela oposição, hoje é comprovadamente um instrumento de erradicação da pobreza.
O Vale-Cultura pode, sim, ser o “alimento da alma”. Por que não? Pela primeira vez o trabalhador terá um dinheiro que poderá gastar no consumo cultural: sejam livros, cinema, DVDs, teatro, museus, shows, revistas…
Lembro que, quando fizemos os CEUs (Centro Educacional Unificado), na pesquisa (2004) realizada no primeiro deles, na zona leste, 100% dos entrevistados nunca tinham entrado num teatro e 86%, num cinema. Quando Denise Stoklos fez seu espetáculo de mímica, a plateia se remexia inquieta até entender a linguagem e não se ouvir uma mosca no teatro, fascinado.
Fomento ao teatro, aquisição de conhecimento e bagagem cultural! Não foi à toa que Fernanda Montenegro ficou pasma com a plateia dos CEUs. Essas pessoas, se tiverem criado gosto, finalmente poderão usufruir e escolher mais do que hoje podem. E os que não têm CEU têm televisão e conhecem o que é oferecido para determinado público. Sabem também o que aparece no bairro. E sabem que não podem ir.
Existe toda uma multidão de brasileiros (17 milhões) que hoje ganha até cinco salários mínimos (R$ 3.390) que potencialmente poderão, além de comer, alimentar o espírito. Este é um projeto de lei que toca duas pontas: o cidadão que vai consumir e o produtor cultural que terá mais público para sua oferta.
Quando chegarmos nesse potencial, serão R$ 7 bilhões injetados na cultura. Nossa previsão é atingir R$ 500 milhões neste ano.
Em 2008, o Ibope realizou pesquisa sobre indicadores de cultura no Brasil e mostrou que a grande maioria da população está alijada do consumo dos produtos culturais: 87% não frequentavam cinemas, 92% nunca foram a um museu; 90% dos municípios do país não tinham sala de cinema e 78% nunca assistiram a um espetáculo de dança.
Segundo a Folha, estaremos incentivando blockbusters e livros de autoajuda. Visão elitista. Cada um tem direito de consumir o que lhe agrada. Não esqueço quando, visitando um telecentro, fiquei indignada que a maioria dos jovens estava nos chats de um reality show. Fui advertida pela gestora: “Esse é um instrumento que eles estão aprendendo a usar. Depois, poderão voar para outros interesses. Ou não”.
Não custa lembrar que a fome pelo acesso à cultura é enorme, o que ficou evidente nas filas quilométricas na mostra sobre impressionistas quando apresentada gratuitamente pelo Banco do Brasil.
O que a Folha também menosprezou é a enorme alavanca que o VC pode representar e desencadear na economia. A cadeia produtiva da cultura é o investimento de maior rentabilidade a curto prazo. Para uma peça de teatro, você vai desde os artistas, ao carpinteiro, cenógrafo, vestuário, iluminador…
Quanto ao recurso ir para formação e atividades de menor sustentação comercial, citadas como prioritários pela Folha, os editais do ministério, os Pontos de Cultura, têm exatamente essa preocupação, assim como os CEUs das Artes e Esporte que são, no momento, 124 em construção no país.
“A gente quer comida, diversão e arte.” (Titãs)
MARTA SUPLICY, 67, é ministra da Cultura. Foi prefeita de São Paulo (2001-2004), ministra do Turismo (2007-2008) e senadora (2011-2012)

LIVRO DE AUTORIA DE PAULO CÉSAR SOBRE A BANDA D.GRITOS SERÁ PUBLICADO EM FEVEREIRO




Um livro que promete vasculhar a memória dos fãs de uma das melhores bandas do interior do estado será lançado no mês do Carnaval. A trajetória dos D.Gritos, marcada pelo sucesso meteórico e uma tragédia que chocou Serra Talhada será contada na obra D.GRITOS: DO SONHO À TRAGÉDIA – A História da Maior Banda de Rock do Sertão Pernambucano (220 pág. Desafio Art & Gráfica), do escritor e historiador Paulo César Gomes. Fã e contemporâneo do grupo, ele remete às páginas uma série de novidades sobre os D’Gritos, incluindo fotos e 80 letras inéditas.

A banda D.Gritos foi criada em 1985 e acabou de forma trágica em 1993. A morte do cantor Ricardo Rocha, eletrocutado enquanto cantava em plena Praça Sérgio Magalhães, marca, paradoxalmente, o ponto alto da obra. Escrever sobre os D.Gritos, comentou Paulo César Gomes, significou promover um resgate de parte da história esquecida de Serra Talhada. Para a elaboração do trabalho, o escritor ouviu ex-integrantes da banda, familiares e amigos.

“O livro resgata fatos que, com o passar dos anos, foram sendo deletados da nossa memória histórica, pois, a maioria dos escritores e pesquisadores regionais preferem contar as lendas e mitos humanos, dos líderes políticos e dos seus feitos, esquecendo-se que a vida, assim como a história, é feita também por pessoas simples. Mas que em muitos casos são possuidoras de uma postura inovadora”, destaca Paulo César Gomes.

O prefácio do livro será escrito pelo jornalista, escritor e editor do FAROL DE NOTÍCIAS, Giovanni Sá, a arte da capa é do artista plástico Nilson Senna, as “orelhas” dos professores Roberto Gomes e Helena Conserva. Para maiores informações e vendas antecipadas ligar para os telefones (87) 9938-0839, (87) 9668-3435, (87)3831-6270.


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

EDITAL PERNAMBUCO DE TODAS AS PAIXÕES DESTINA R$ 600 MIL PARA ESPETÁCULOS CÊNICOS


“As inscrições começam no dia 16 de janeiro e seguem até o dia 14 de fevereiro”.

A Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco (Secult/PE), e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), lançaram nesta quarta-feira (09/01) o V Edital Pernambuco de Todas as Paixões, as inscrições começam no dia 16 de janeiro e seguem até o dia 14 de fevereiro. Nesta edição, o edital vai destinar R$ 600 mil para a realização de espetáculos cênicos, que retratam aspectos da vida de Jesus Cristo e serão encenados ao longo da Semana Santa.

O edital foi criado para conceder incentivo financeiro às encenações da Paixão de Cristo em diversas cidades de Pernambuco, mantendo viva uma manifestação religiosa do povo do Estado, além de aprimorar as encenações que existem há anos e incentivar o turismo interno.

Serão incentivados projetos em cinco categorias: a categoria 1 garantirá apoio a três propostas no valor máximo de R$ 50 mil (cada). Na Categoria 2, serão escolhidas três propostas de até R$ 40 mil (cada). Já na Categoria 3, serão contemplados quatro projetos de até R$ 30 mil (cada). Na Categoria 4, serão seis espetáculos de até R$ 20 mil (cada) e na Categoria 5, por fim, nove propostas de até R$ 10 mil (cada).

Na edição passada do edital, foram contemplados 18 espetáculos, sendo investido também um valor de R$ 600 mil, que garantiu encenações em Pesqueira, Caruaru, Gravatá, Orobó, Bom Jardim, Olinda, entre outras cidades de Pernambuco.

Inscrições - As inscrições serão realizadas no andar térreo da sede da Secult - PE/ Fundarpe, localizada à Rua da Aurora, 463/469, Boa Vista, Recife, de segunda a sexta-feira, no horário das 8 às 17 horas.

Serão aceitas ainda inscrições via Correios, enviadas por SEDEX, com aviso de recebimento (A.R.) até o dia 14 de fevereiro de 2013, encaminhadas ao endereço da instituição.

As informações completas sobre o edital, podem ser conferidas no site www.fundarpe.pe.gov.br

sábado, 19 de janeiro de 2013

PRODUTORES TÊM ATÉ 25 DE JANEIRO PARA ATUALIZAR CPC


Segue até o dia 25 de janeiro, o prazo para inscrição e atualização do Cadastro de Produtores Culturais (CPC) para aqueles que pretendem participar do edital do Funcultura Audiovisual 2012/2013, cujas inscrições de projetos têm início no dia 28 de janeiro.
No caso do edital do Funcultura Independente 2012/2013, que receberá projetos culturais a partir de 14 de fevereiro, o prazo para inscrição e atualização do CPC permanece até o dia 15 de fevereiro, sem possibilidades de prorrogação.
Para realizar a inscrição ou renovação do CPC, os produtores devem entregar os documentos exigidos na Secretaria Executiva do Funcultura, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, na sede da Fundarpe (Rua da Aurora 463/469, Boa Vista, Recife – Pernambuco).

A inscrição e atualização do Cadastro de Produtores Culturais são requisitos fundamentais para participação nos editais de convocação do Funcultura 2012/2013. O CPC do produtor é único para ambos os editais. Não é necessário se cadastrar duas vezes.

Mais informações: (81) 3184-3023 ou 3184-3026 / atendimentosic@fundarpe.pe.gov.br

Confira nos links abaixo o formulário de inscrição e as listas de documentos necessários para inscrição ou renovação do cadastro.

Documentos para Cadastro de Produtor Cultural
Documentos para renovação do CPC
Anexo 1 - Formulário para inscrição no CPC

Leia mais informações sobre o Funcultura 2012.2013: Funcultura vai destinar 33,5 milhões de reais à cultura do Estado

domingo, 13 de janeiro de 2013

OFICINA DO FUNCULTURA / AUDIOVISUAL



Coordenadoria de Audiovisual da Secretaria de Cultura de Pernambuco objetivando capacitar os produtores culturais de SERRA TALHADA a inscrever os projetos culturais na linguagem de audiovisual, contemplando as categorias de longa-metragem, curta-metragem, produtos para TV, cineclubismo, difusão, formação, pesquisa e preservação, tem a grata satisfação em CONVIDAR os produtores para participarem da oficina em Elaboração de Projetos Culturais 6º Edital do Programa de Fomento à Produção Audiovisual de Pernambuco / Funcultura 2012-2013.
  • Será no dia 17 de janeiro/2013.
  • Das 14 às 17 horas.
  • No MUSEU DO CANGAÇO, na Estação do Forró.