Vídeos

Loading...

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

MORRE O TEATRÓLOGO PERNAMBUCANO VITAL SANTOS

O teatrólogo pernambucano Vital Santos teve uma parada cardíaca e faleceu hoje pela manhã, aos 68 anos, no Recife. O artista sofria de leucemia e chegou a fazer um transplante de medula, mas não resistiu às complicações causadas pela doença. O enterro acontecerá amanhã, no cemitério Parque das Flores, em Tejipió, Zona Sul do Recife, em horário ainda não definido.
Vital iniciou sua carreira em Caruaru, onde ajudou a fundar, em 1966, o Grupo Evolução. Em seguida, fundou também o Grupo Feira de Teatro Popular. Uma das suas peças mais conhecidas é Auto das Sete Luas de Barro, musical escrito em versos sobre o Mestre Vitalino. O texto dramático foi escrito em 1979 e premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCE), além de receber o extinto Prêmio Molière.

Sua carreira se notabilizou também por discutir temas sociais em peças como Rua do Lixo, 24 e O Sol Feriu a Terra e a Chaga Se Alastrou. Um de seus últimos trabalhos, de 2009, foi Cantigas do sol – Dom Quixote de cordel, um tributo a Luiz Gonzaga, que esteve aqui, na MOSTRA DE TEATRO DE SERRA TALHADA, em 2011, uma promoção da Fundação Cultural Cabras de Lampião. Este ano, Vital foi um dos homenageados do 19° Janeiro de Grandes Espetáculos. A sessão do Auto das Sete Luas de Barro programada para acontecer na próxima segunda-feira, no Festival de Teatro do Agreste (FETEAG), está, a princípio, confirmada.
UM POUCO + DE VITAL - Teatrólogo pernambucano, Vital Santos iniciou a carreira na cidade de Caruaru, Pernambuco, onde em 1966 foi um dos fundadores do Grupo Evolução. Em 1967, escreveu sua primeira peça: "Feira de Caruaru".
Com a peça "Rua do Lixo 24", escrita em 1968, ganhou cinco prêmios no Festival Nacional de Teatro (realizado em 1969) e percorreu o Brasil inteiro. Com a peça "O Auto das Sete Luas de Barro" (uma biografia do ceramista Mestre Vitalino) ganhou vários prêmios, entre os quais o Prêmio Molière; Mambembe; da Associação dos Críticos de Arte de São Paulo e o Prêmio Governador do Estado do Rio de Janeiro. Outra peça ganhadora de vários festivais nacionais de teatro foi "O Sol Feriu a Terra e a Chaga se Alastrou".
Principais obras: "A Menor Pausa" (traduzida para o francês); "O Demônio Está de Branco" (traduzida para o espanhol); "A Noite dos Tambores Silenciosos"; "A Árvore dos Mamulengos". Também dirigiu o Teatro de Comédia do Paraná, o Projeto Pixinguinha  (da Fundação Nacional de Arte - Funarte), além de shows dos cantores Alceu Valença, Elba Ramalho e Jackson do Pandeiro.


Nenhum comentário: