Vídeos

Loading...

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

MENSAGEM DE FIM DE ANO DA PRESIDENTA DA ACADEMIA SERRA-TALHADENSE DE LETRAS Srª ZENOBIA MELO

Fogos, alegria, esperanças, muita champanhe, lagrimas, muitos abraços muitos sorrisos, emoção, muita emoção! Estamos vivos mais um ano nos foi dado...
Claro que a passagem de ano não é assim para todo mundo. Há os que estão nos leitos, imobilizados. Inconscientes. Nada sentem. Há os que estão nos leitos, porém conscientes. E sem esperança, sem alegria, sem fé, sofrendo muito. Há os que se insolam se trancam no próprio mundo e não veem motivo nenhum para comemorar nada.
Há os têm raiva de tudo. Aqueles que pensam que a felicidade só existe para os outros e se esquecem de que a felicidade o bom humor, a alegria de viver está dentro de cada um de nós.
Há os que perderam bens materiais, ou bens humanos e há os ganharam coisas compensadoras, no entanto, continuam tristes e insatisfeitos.
A vida terrena já é tão curta que temos a obrigação de transformar o que nos é desagradável em algo pelo menos aceitável. Como nos diz, Dale Carnegie: “fazer do limão, uma limonada”. “Jamais chorar pelo leite derramado”. O que passou é passado. Se foi ruim, que nos sirva de exemplo para construirmos uma vida nova, diferente, se foi bom agradeçamos.
Ser realista e consciente é ter sabedoria. Entender o que nos cerca. Ter serenidade em todas as situações. Jamais se esquecer de agradecer a Deus, Esse pai bondoso e misericordioso pelo dom da vida.
Aproveito e agradeço nesse momento: obrigada Pai por eu fazer parte daqueles que comeram a passagem do ano entre pessoas queridas e com alegria, apesar do mundo instável em que vivemos, apesar do que ganhamos e do que perdemos no decorrer do ano que passou.
Sabemos através da história que os primeiros seres humanos viviam no paraíso. Não foram fortes o suficiente, caíram na tentação e perderam a paz. Botaram a culpa na serpente.
  Nós também não somos fortes o suficiente e nos deixamos levar pelas tentações e enganos. Pois é, perdemos a paz toda vez que nos deixamos vencer pelas tentações.
   Todo ser humano é vulnerável aos vícios: drogas, infidelidade, ao comodismo e colocam sempre a culpa nos outros.
A família continua sendo para mim a célula-mãe da sociedade e ainda considero a mulher peça principal e a responsável pelo equilíbrio emocional do lar. Uma mulher sensata aconselha, está sempre presente e impede a guerra em família.
Observamos a história: Uma mulher trouxe o pecado, porém, outra foi escolhida para remediar o mal e nos deu o salvador Jesus e por sua intercessão Jesus operou seu primeiro milagre transformando água em vinho.
Quem primeiro viu o Cristo ressuscitado foi uma mulher.
Há mulher que ao invés de estimular gastos no seu lar, inibe-os, sabiamente.
Feliz da Família que pode ter uma mulher equilibrada, ajuizada, sensata que sempre planta e colhe a paz na sua casa.
Sabemos que a paz é uma planta muito delicada, precisa de ininterruptos cuidados. É uma peça muito importante que nos ajuda a viver no mundo de hoje que está incompreensível e virou uma fumaça tóxica que compromete a vida sobre a face da terra. O mundo contamina a natureza. O mundo quer destruir-se. Quem é o mundo, meus irmãos? Essa bola redonda, cheia de água, de terra, de verde, que gira no espaço?  Só isso?  Não!   O mundo somos nós: pessoas, gente, tudo. E estamos todos envolvidos como linhas num carretel.  E agora?
Calma! Não entremos em pânico! Quem é o culpado dessa situação? Todos nós. O mundo inteiro é culpado.
Porque nos esquecemos que nossa passagem aqui na terra é muito breve e erramos, deixamos tudo correr à revelia. Invertemos tudo; trocamos liberdade por libertinagem, um saudável copo de vinho, por barris de aguardente, e nos deixamos ficar doidões.
Não param para conversar com Deus. Não ensinam aos filhos a fazerem isso, lá se vem jovens insatisfeitos, infelizes, revoltados, também vazios que se viciam em drogas, viram vegetativos, algumas vezes, danosos, não seres humanos. Porque a natureza é implacável para quem abusa dela. E quando é agredida reage com secas demais, ou enchentes demais, terremotos, maremotos, enfim, quanto mais o homem envenena o planeta, mais o planeta agoniza se e esperneia, vemos tudo na TV com a velocidade da luz.  E agora? Que podemos fazer?
Minha humilde mensagem para o ano de 2014 é que tenhamos muita fé, tiremos da nossa vida tudo o que não é de Deus.
 Plantemos, a semente da paz, em cada coração, em cada pessoa que faz parte do nosso convívio. Assim a nossa vida vai andando no caminho do bem, contaminando o nosso próximo que contaminará seus próximos até contaminarmos o mundo inteiro... E pelo menos no nosso grupo possamos ouvir do mestre: “A paz esteja convosco!” E nós numa única voz possamos responde: Ela está no meio de nós. Amém.

Nenhum comentário: