Vídeos

Loading...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

MORRE NELSON MANDELA

A Fundação Cultural Cabras de Lampião, com pesar, publica a matéria abaixo, anunciando a morte de NELSON MANDELA. A sua história de luta é inspiração para criação de nossa entidade em 1995, por isto anunciamos luto de nossa entidade e nos solidarizamos com todo povo sul-africano, com as entidades que lutam em defesa da igualdade racial, da soberania, de todos os direitos.
Mandela iniciou sua militância política antes mesmo de terminar a faculdade de Direito, ao se unir ao Congresso Nacional Africano (CNA) – organização que tinha como principal objetivo combater a segregação racial no país. Após divergências com a cúpula da entidade, Mandela e outros membros formaram a Liga da Juventude do CNA, que defendia uma postura mais agressiva frente ao governo, embora sem uso da violência.
O embate ficaria ainda mais duro após 1948, quando chegou ao poder o Partido Nacional, que oficializou o apartheid. Depois do massacre de Sharpeville – em 1960, quando a polícia sul-africana atirou contra manifestantes negros desarmados –, Mandela passou a defender a resistência armada e coordenou uma campanha de sabotagem contra alvos militares e do governo. Acabou preso, sob a acusação de traição e terrorismo.

O maior símbolo da luta contra o apartheid na África do Sul e Prêmio Nobel da Paz por seus esforços contra o racismo morreu nesta quinta-feira. Nelson Mandela tinha 95 anos, sofria de uma grave infecção respiratória e estava sendo mantido em sua casa em Johannesburgo sob cuidados médicos. Ele esteve hospitalizado de 8 de junho a 1º de setembro com um quadro de infecção pulmonar e outras complicações. No fim de semana, Zindzi, sua filha mais nova, disse ao New York Times que sabe que ele está morrendo.
- A nação perdeu seu maior filho. O que fez de Mandela grande é o que ele tem de humano. Vimos nele o que buscamos em nós mesmos. Nossos pensamentos e de milhões de pessoas ao redor do mundo estão agora com Mandiba, com sua esposa, Graça Machel, sua ex-mulher, Winnie, seus filhos e sua família - disse o presidente Jacob Zuma, em um pronunciamento televisionado nesta quinta-feira. - Nós expressamos uma imensa gratidão pela vida investida nos cidadãos desse país.

Mandela passou 27 anos em três prisões diferentes durante o regime racista branco e contraiu tuberculose no cárcere. A maior parte desse período, passou em Robben Island, na costa da Cidade do Cabo, onde ele e outros prisioneiros trabalhavam em uma pedreira. Foi libertado em 1990 e se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul em 1994.
O ativista deixou o cargo de chefe de Estado em 1999, após um mandato, e se afastou da vida política há uma década. Sua última aparição em público foi na final da Copa do Mundo de futebol em Johanesburgo, em 2010.

Algumas frases de Mandela:
Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”.

“Não se esqueça de que os santos são pecadores que continuam tentando”.
“Não poderás encontrar nenhuma paixão se te conformas com uma vida que é inferior àquela que és capaz de viver”.

"Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos."

“Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo”.

Nenhum comentário: