Vídeos

Loading...

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

COLÉGIO MUNICIPAL CÔNEGO TORRES COMEMORA SEUS 60 ANOS COM MUITA FOLIA


CARNAVAL 1Por volta das 08h da manhã desta quinta-feira (27) um mar de gente tomou conta das principais ruas da Capital do Xaxado. Diretores, Professores e Alunos vestiram-se a caráter e levaram a alegria das salas de aula para as ruas de Serra Talhada.
476 alunos do sexto ao nono ano juntaram-se aos 22 professores e fizeram muita festa. O bloco que levantou o estandarte “Pazfolia” coloriu a cidade e enalteceu a tradição da Escola Municipal Cônego Torres, que este ano completa 60 anos construindo cidadãos serra-talhadenses.
O bloco desceu pela Avenida Afonso Magalhães, no Alto da Conceição, passou pela Rua Enock Ignácio Oliveira, no Bairro Nossa Senhora da Penha e se concentrou na Praça Dr. Sérgio Magalhães. Sempre acompanhado de uma CARNAVAL 3charanga que tocou o mais autêntico ritmo do carnaval pernambucano: o frevo.
A diretora adjunta, Gorete Sá, também acompanhou os alunos e professores e caiu na folia. “Este ano trouxemos de volta a tradição da escola que havia desfilado em outros carnavais e desta vez escolhemos a mensagem de paz e alegria, pois o que queremos é viver na nossa linda Serra Talhada, no carnaval e em todos os outros dias com muita paz e alegria”, disse Gorete.
O evento contou com o apoio importante da Guarda Municipal, que organizou o trânsito, promovendo mais segurança e comodidade, para mais de 500 pessoas que acompanharam o bloco carnavalesco da Escola Municipal Cônego Torres.
CARNAVAL 4A FOLIA CONTINUA – Nesta sexta-feira, novamente as ruas centrais da cidade foram tomadas por estudantes-foliões que fantasiados convidaram a população para caírem na folia. Desta vez foram os alunos da Escola Cornélio Soares que a caráter já mostram que vai ser “quente” o carnaval da Capital do Xaxado.
Neste sábado, já a partir do meio dia começa a funcionar o polo Serrinha e logo depois, a partir das 20 horas a folia toma conta do polo da Estação do Forró, no centro da cidade

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

SERRA TALHADA - MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA PENHA

Sou sertanejo, do Vale do Pajeú, de Serra Talhada, com muito orgulho. Cada pedacinho de minha cidade, cada homem e cada mulher, sua cultura, histórias e lendas me faz ser um cidadão do mundo. Aí está nossa Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha. Com meus pés no chão e a cabeça no universo. Sem gabação!!! (ANILDOMÁ).

FREVO NA CAPITAL DO XAXADO - FOLIA NO CORAÇÃO DA GENTE

 É FOLIA NO CORAÇÃO DA GENTE - Dois polos garantem a folia do CARNAVAL DE SERRA TALHADA – durante o dia, na BARRAGEM DE SERRINHA, e a noites, na ESTAÇÃO DO FORRÓ – mas, para fortalecer a tradição dos adeptos do MOMO, blocos e troças são promovidas em toda cidade, nos bairros e zona rural, permitindo a democratização da folia, em todos os gostos e gêneros, conforme segue Programação dos Blocos e agremiações carnavalesca 2014, da Capital do Xaxado:

DIA 1º - SÁBADO
10 hs - Bloco Carnavalesco da Comunidade/Xique-xique
Concentração: Comunidade do Xique Xique.

16 hs - Bloco Bolachinha e sua Turma-infantil
Concentração: Quadra Estação do Forró

20 hs- Bloco Faverboys
Concentração: Praça Manoel Pereira Lins

DIA 2 - DOMINGO
08 hs -  Bloco Carnavalesco “Dos Salgadas”
Concentração: Fazenda Nova

10 hs - Bloco Carnavalesco da Comunidade do Xique-xique
Concentração: Xique Xique

10 hs - Bloco da Comunidade da Fazenda Saco
Concentração: IPA

12 hs - Bloco Carnavalesco  Tô na Concha
Concentração: Concha Acústica

15 hs - Associação dos Isopores
Concentração : Estação do Forró.

15 hs - Bloco dos Amigos
Concentração: Rua Quatro, no Bom Jesus

DIA 3 – SEGUNDA FEIRA
10 hs - Bloco Carnavalesco da Comunidade do Xique-xique
Concentração: Xique Xique

10 hs - Bloco da Comunidade da Fazenda Saco
Concentração: IPA

DIA 4 – TERÇA FEIRA
10 hs - Bloco Artfolia
Concentração: Rua do Cruzeiro, no Borborema.

DIA 7 – SEXTA FEIRA
Bloco As Lacraias da Pitú.

DIA 8 – SÁBADO
16 hs - Bloco  Beija Flor da Serra
Concentração: Rua Antonio Inácio de Medeiros, no Bairro Conceição.

16 hs - Bloco Carnavalesco Camarões da Madrugada
Concentração: Avenida Afonso Magalhães

16 hs - Bloco dos Capoeiristas
Concentração: Rua Quatro, no Bom Jesus.





terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA PROVA PROFISSIONALIZANTE (DRT) EM TEATRO

 =>O Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculo de Diversão do Estado de Pernambuco-SATED/PE Promove prova profissionalizante para TEATRO 2014.1 Inscrições até o dia 12/03/2014.
Critérios:
• Ter no mínimo 5 anos de experiência e trazer currículo com comprovantes.
• (recortes de jornais ou revistas; certificados; programas de espetáculos, etc);
• Ter idade mínima de 16 anos;
• Estar cursando ou ter cursado o ensino médio (anexar comprovante).

Taxas:........................R$ 125,00.

Observações:
1 – O texto para a prova prática será escolhido pelo(a) candidato(a), dentre os 04 oferecidos
pelo SATED-PE.
2 – Após a aprovação são necessários os seguintes documentos para a obtenção do Registro.
Profissional:
• Cópia autenticada do RG e do CPF;
• Carteira de Trabalho;
• Cópia de comprovante de residência;
• 2 fotos 3x4.
Taxas:..............................R$ 170,00
Imposto Sindical................ R$ 80,00
3 – A PROVA PERDERÁ A VALIDADE APÓS 01 ANO.
Para informações ligue (081) 3424-3133 das 9 as 17 horas de Seg à Sexta-feira.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

HÁ 4 ANOS MORRIA DE FORMA TRÁGICA O ATOR SERRA-TALHADENSE ARNAUD RODRIGUES

>< No último domingo, há exatos 4 anos, em 16 de fevereiro de 2010, falecia tragicamente o maior artista cênico serra-talhadense, o humorista, compositor e cantor Antônio Arnaud Rodrigues, aos 67 anos. A morte foi causada através do naufrágio de um barco que virou devido a uma forte chuva com outras dez pessoas da família – inclusive sua esposa e dois netos que sobreviveram – no lago da Usina de Lajeado, a 25km da capital Palmas, no Tocantins.
Arnaud Rodrigues não sabia nadar e seu corpo foi encontrado horas depois. Em mais de 40 anos de carreira, Arnaud Rodrigues gravou 12 discos, participou de 4 filmes e 5 novelas, além do humorístico Chico City, aonde formou dupla ao lado de seu grande amigo Chico Anysio. Juntos, em plena ditadura, eles satirizavam Caetano Veloso e Gilberto Gil com a dupla “Baiano & os Novos Caetanos”, ao qual Arnaud interpretava o intelectual da dupla “Paulinho Cabeça de Poeta”.
Depois disso, ele interpretou o cego “Jeremias”, na novela Roque Santeiro, e depois “Soró”, um imigrante nordestino ingênuo na novela Pão, Pão, Beijo, Beijo. Nesse intervalo, foi candidato a prefeito de Serra Talhada, na eleições municipais de 88, ficou em 5º lugar, para depois ser novamente candidato, dessa vez, a deputado federal nas eleições de 90, também amargando derrota. Voltou a televisão, no humorístico “A Praça É Nossa”, do SBT, onde ao lado de Marcelo de Nobrega fazia a dupla “”Chitãoró e Xorãozinho”, além do “Coronel Totonho” e o “Povo Brasileiro”. Arnaud Rodrigues era filho de seu Walfredo Rodrigues.
<>Nasceu em Serra Talhada, em 6 de dezembro de 1942.
Na década de 1970 formou com Chico e o instrumentista Benato Piai o grupo musical baiano “Os Novos Caetanos”. A iniciativa rendeu três discos de estúdio, o que alavancou a carreira de Arnaud como músico, que no futuro acabou lançando vários discos solo.
No ano de 1978 Arnaud Rodrigues deu início a uma contribuição gigantesca para a cultura brasileira, após gravar a música “A Carta de Pero Vaz de Caminha”; é também creditado como um dos precursores do rap nacional.

PALÁCIO DO CAMPO DAS PRINCESAS REABRIU SEXTA-FEIRA

A cerimônia de entrega do projeto de restauração do palácio do campo das princesas, que volta a ser a sede oficial do governo de Pernambuco. O projeto, orçado em 30 milhões e 600 mil reais, com patrocínio de várias empresas, contemplou a restauração e modernização de todo o complexo, formado pelo edifício sede  e mais quatro prédios anexos. nessa primeira etapa será entregue apenas o edifício sede. Mais de 500 operários atuaram no trabalho, iniciado em agosto de 2012. Ainda este ano, serão entregues os prédios anexos.

A população poderá visitar o palácio do campo das princesas, a partir do próximo dia 20. As visitas devem ser agendadas pelo
Palácio do Campo das Princesas é a sede administrativa do poder executivo do estado de Pernambuco. Idealizado desde 1786 pelo Governador José César de Meneses, foi construído em 1841 pelo engenheiro Morais Âncora, a mando do Governador Francisco do Rego Barros, no local onde ficava o Erário Régio.
Localiza-se no bairro de Santo Antônio (Ilha de Antônio Vaz), na Praça da República, próximo ao Teatro de Santa Isabel e ao Palácio da Justiça.
À sua frente está plantado um baobá secular, que possivelmente serviu de inspiração a Saint Exupéry, quando de sua passagem pelo Recife, antes de escrever O Pequeno Príncipe.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O QUINTAL DO MUSEU DO CANGAÇO ABRE ESPAÇO PARA O RISO

Dia 23 de Fevereiro às 20h, o Quintal do Museu estará recebendo dois grandes artistas do humor brasileiro, Carlos Amorim e Rubens Santos. Após sucesso nos programas SHOW do TOM e TUDO é POSSÍVEL da TV RECORD, eles desembarcam em Serra Talhada para uma única apresentação. Venha se divertir com esse espetáculo cheio de alegria.
O show de humor será dividido em dois momentos primeiro será com os Artistas de cara limpa (Stand up Comedy), em seguida serão os personagens: Zefinha Parideira e Solivaldo Marley; “a participação do publico será constante porque não haverá quarta parede como se tem no teatro tradicional e o publico pode ficar atento porque ele também é um elemento na construção da piada e/ou construção da situação, vai ser muito riso em 1:30 de apresentação, a classificação é 14 anos. Diz Carlos Amorim, uns do Nomes que estará em Serra Talhada no Grande Encontro do Humor.
Apresentações Culturais em diversos gêneros têm sido freqüentes no QUINTAL do MUSEU do CANGAÇO nos últimos tempos, oportunizando a população à vir apreciar e participar do que há de melhor em termos de artes e entretenimento na região. “Pra gente é sempre um imenso prazer receber aqui pessoas de todas as idades, para além, de mergulhar na história do cangaço e Lampião (visitando nosso acervo), poderem vivenciar atividades artísticas de qualidade, mostrando assim, a diversidade cultural existente no País; Fala Cleonice Maria, presidenta da Fundação Cultural Cabras de Lampião e produtora do evento que promete arrancar muitas risadas de quem se fizer presente.
“É um espetáculo cheio de piadas e tiradas com pessoas e situações do nosso cotidiano”. Afirma Rubens Santos que também estará presente nesse Grande Encontro do Humor no Museu do Cangaço às 20h desse domingo dia 23 de Fevereiro.
Os ingressos já estão à venda na Recepção do Museu na Estação do Forró ou com os Integrantes dos Cabras de Lampião; Antecipado custa 10,00, na hora será 15,00. Não vai perder, vai?      

Apoio Secretaria de Cultura e Turismo de Serra Talhada. Informações: 87 38313860 - 99386035. 


quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

CARAVANA CULTURA VIVA DESEMBARCA NO BAIRRO BORBOREMA NESTE FIM DE SEMANA


=>CARAVANA CULTURA VIVA - O ARTISTA  indo onde o POVO está, com a ARTE  feita pelo POVO, ela não reproduz o que vemos. Ela faz-nos ver.
Agora é a vez do Bairro Borborema receber a Caravana Cultura Viva com diversas atrações artísticas, fazendo as populações de cada comunidade visitada se divertirem enquanto apreciam atrações de qualidade. Os esquetes teatrais com Virgolino e Maria, danças populares como Frevo, Ciranda, Samba de Coco, Xaxado, Percussão e a participação do POETA GONGA MONTEIRO

Será no dia 16 de fevereiro (DOMINGO), no Bairro da Borborema, será na Rua da Caixa D’Água, às 19 horas, sendo uma promoção da Prefeitura Municipal de Serra Talhada / Secretaria de Cultura e Turismo. 

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

A PELEJA ENTRE LAMPIÃO E ZÉ SATURNINO FAZ ANIVERSÁRIO

             =>Nesta terça-feira (11), há exatos 96 anos, em 11 de fevereiro de 1918, o fazendeiro José Alves de Barros - o Zé Saturnino, entrava na feira do povoado de Nazaré do Pico, em Floresta (PE), em busca de um dinheiro quebrando um acordo feito com a família Ferreira.
              O acordo firmado entre Sartunino Alves de Barros (pai de Zé Saturnino) e por José Ferreira da Silva (pai de Lampião) seria que o primeiro não iria a Nazaré e região e o segundo não iria a Serra Talhada.
Aconselhado pelo major João Gregório - da Ema, e pelo Sr. Clementino Quelé, do Cipós, o jovem Zé Saturnino não deu ouvidos pois segundo ele, os Ferreiras quebravam o acordo quando iam visitar a tia na Fazenda Matinha.
Na ida, Zé Saturnino é emboscado pelo jovem Virgulino (Lampião) e seu primo Domingos Paulo. No dia seguinte (12), Zé Saturnino acompanhado por 15 homens, cerca a fazenda Poço do Negro, onde a família Ferreira morava. No conflito, Zé Guedes, um dos homens de Zé Saturnino, é baleado. Depois desse fato o atrito aumentou indo a família Ferreira morar em Alagoas.


segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

BNDES DESTINOU R$ 3 MILHÕES AO MUSEU DO FREVO, NO RECIFE

=>Apoiado com R$ 3 milhões em recursos não reembolsáveis do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Museu do Frevo foi inaugurado no Recife neste domingo, 9, data em que se comemora o dia do ritmo pernambucano agraciado com o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade.
O museu está instalado no Paço do Frevo, que ocupa um casarão de três andares na Praça do Arsenal, Bairro do Recife, e inclui ainda uma escola de dança e música, estúdio de gravação, rádio online, áreas para exposição, salas de aula, centro de documentação e café. O empreendimento é uma parceria entre BNDES, Fundação Roberto Marinho, Prefeitura do Recife, Governo de Pernambuco e outros parceiros públicos e privados.
“O Paço do Frevo é singular porque congrega no mesmo projeto a preservação do patrimônio histórico material e imaterial. Além disso, vai atrair visitantes para o centro histórico do Recife, contribuindo para sua revitalização, e gerará receitas, por meio de venda de produtos e do estúdio de gravação. É o exemplo de projeto de Economia da Cultura que o BNDES busca apoiar”, afirmou a chefe do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo do BNDES, Luciane Gorgulho.
A executiva e o chefe do Departamento Regional Nordeste do Banco, Paulo Guimarães, estiveram presentes à cerimônia de inauguração, da qual participaram o prefeito Geraldo Julio, o governador Eduardo Campos, o escritor Ariano Suassuna e o bailarino e instrumentista Antônio Nóbrega, entre outros artistas.
Tombado pelo Iphan desde 1998 e reformado com o apoio do BNDES, o imóvel que hoje sedia o Paço do Frevo abrigou até 1973 a antiga empresa de telégrafos inglesa Western Telegraph Company Limited e encontrava-se em precário estado de conservação. Exemplar de arquitetura eclética, o prédio reúne elementos clássicos, medievais e barrocos. Sua recuperação, com obras nas fachadas, na estrutura e no interior, preservou as características arquitetônicas.
Maior apoiador da preservação do patrimônio histórico, arquitetônico e arqueológico brasileiro, o BNDES tem uma carteira significativa de projetos nesse sentido no Recife e em Pernambuco. Desde 1999, foram apoiadas 18 iniciativas no Estado, no valor total de R$ 21,2 milhões.

Entre os projetos, incluem-se os restauros da Basílica de Nossa Senhora do Carmo, da Matriz do Rosário de Goiana e da Faculdade de Direito. O Banco também apoiou a restauração e o inventário dos bens móveis integrados da Igreja Nossa Senhora da Misericórdia, em Olinda; e os restauros da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, da Igreja Madre de Deus e do Teatro Santa Isabel, no Recife.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

LAMPIÃO: HOJE AQUI NINGUÉM DANÇA

Uma paixão que o LAMPIÃO teve na adolescência,  e quando estava no cangaço não escondia esse sentimento. Hoje, em HISTÓRIAS DO CANGAÇO – RUMO AO MASSACRE DE ANGICO  vamos conhecer uma passagem da vida do Rei do Cangaço, quando o mesmo chegou em Nazaré para tentar impedir o casamento de sua amada.
            
Eu era um moleque com uns dez ou treze anos quando via dona Licor na sua casa, na rua Coronel Cornélio Soares,  próximo à residência dos meus pais, pertinho do rio Pajeu. Ela nasceu no distrito de Nazaré, mas em 1936 veio morar em Serra Talhada.  Seus netos e netas eram meus parceiros de escola, festas, teatro e farra.
         “Ela foi namorada de Lampião!”
         Era o que ouvíamos sobre aquela senhora simpática e agradável.
De conversa em conversa, entre uma especulação e outra, de cochicho em cochicho, fui juntando os pedaços dessa história e com a ajuda de dona Neusa, filha de dona Licor,  conseguir redigir esse capítulo.
Ainda tava escuro quando o padre José Kehrle e o sacristão Zé Rufino saíram de Vila Bella montados em bons cavalos, com destino a Nazaré, onde era dia de feira e estava marcado o casamento de Maria Licor Ferreira de Lima com Enoque Menezes.
A mãe da noiva, Joana Lopes, conhecida por Joaninha ou Nanã, era irmã de Maria Sulena, mãe de Lampião. Portanto, a nubente era prima dos irmãos Ferreiras.

Ainda hoje dizem que Lampião não aceitava esse enlace por que ele era apaixonado por Licor. Era uma paixão antiga, desde a adolescência.
Passava um pouquinho das duas horas da tarde quando o padre entrou no povoado, todo empoeirado, chapelão na cabeça pra proteger sua pele avermelhada, com o fiel sacristão, sempre caladão, ao lado. Um monte de gente veio recebê-los, pedindo a benção, passando e recebendo as últimas novidades.
Nesse momento Lampião estava com Raimundo do Pico tocando um fole de oito baixos debaixo de uma latada de feira no meio da rua, exibindo aos feirantes presentes quinze chicotes feitos com os fios do telégrafo, que o mesmo havia cortado antes da entrada na vila, dizendo que cada um daqueles seria para dar uma surra em quinze nazarenos, deixando claro ser em Gomes, e nos demais chefes das famílias Flor e Jurubeba. Os demais cangaceiros – num total de dezesseis – estavam, ao som da sanfona tocada pelo chefe, dançando xaxado e outros espalhados nas bodegas tomando bicada de cachaça ou comendo breboto nas bancas, quando viram o padre, largaram tudo e foram também dar as boas vindas ao amigo, conselheiro e confidente.
         
Todas as vezes que o sacerdote vinha a Nazaré ficava hospedado na casa de Antonio Gomes Jurubeba, o velho Gomes. Desta vez não foi como antes, ele retirou-se e deixou a residência fechada. Estava em sua fazenda arquitetando um plano pra matar Lampião. O padre hospedou-se na casa de um parente da noiva, que era também da mesma família de Lampião, Cândido Ferreira, onde foi servido um almoço para o reverendo e os cangaceiros. Enquanto almoçavam chegou um irmão da noiva e dirigiu-se a Lampião, dizendo-lhe:
 “- Lampião, você sabe que hoje é dia de festa. Minha irmã, vai se casar e não fica bem você com esse monte de gente armada arrudiando na rua.”
Antonio Ferreira, do local que estava sentado, disse numa falsa calma:
“ – Quando é pra brigar eu brigo. Só que não vim pra isso. Mas agora nem numa festa podemos mais ficar? Viemos em paz!  Se é assim como você diz, daqui só saio deixando os urubus comendo um...”

Livino deu de garra dum punhal, cravou em cima da mesa e num tom  intimidante, deu seu recado:
“ – Tenho contas pra acertar com um magote de gente safada daqui, e logo um primo meu que vem com conversa pra arredar. De jeito nenhum.!”
João Gavião que já estava um pouco bêbado, eufórico, com o álcool subindo a cabeça, pronunciou  elevando a voz:
“- Eu vim pra Nazaré me divertir na festa do casamento. Mas se é pra gente sair daqui por que somos bandido, vai ficar bem pouquinha gente.”
À medida que cada um na mesa falava, a situação ia ficando mais tensa. Foi aí que o padre, já todo vermelho, os olhos azuis arregalados, enxugando o suor da testa longa com um lenço, interviu interrompendo as opiniões:
 “- Calma, gente, a festa pode ser pra todo mundo! É só uma questão de entendimento!”
Lampião levantou-se calmamente, dirigiu-se ao primo, esticou o dedo em seu nariz, com os dentes cerrados, olhar fixo, transpirando raiva pelos poros, falou:
“- Tá decidido. Já que Licor e Enoque se casam, num tenho mais o que fazer! O Padre faz como for certo. Mas aqui em Nazaré, hoje, ninguém dança!”.  Era quatro horas da tarde, do dia 31 de julho de 1923, quando Enoque e Licor entraram na capela de Nossa Senhora da Saúde para se casarem, sob a benção do Padre José Kehrle.

Os cangaceiros participaram do jantar e depois foram para a fazenda de Antonio do Campo Alegre, próximo ao povoado, onde passaram a noite na casa de Sebastião Eusébio.

Enquanto tudo ia aparentemente bem, na fazenda de Gomes, se reunia David Jurubeba e João Domingos, Manoel e Luiz Soriano, Manoel e Euclides Flor, Pedro Gomes e outros nazarenos das confianças desses com a intenção de montarem um meio para eliminarem os cangaceiros. A tática era se espalharem pelas ruas, cada um ficar ao lado de um deles, e ao sinal combinado, todos agiriam simultaneamente, esfaqueando o inimigo que estivesse mais próximo. João Flor foi quem tirou essa idéia “doida” da cabeça dos amigos, convencendo-os que a mínima falha poderia morrer muita gente inocente.
         No Campo Alegre os cangaceiros faziam a festa com alguns rapazes e moças da redondeza. Vez em quando saia um cangaceiro e ia pela escuridão da noite verificar se realmente não estavam dançando em Nazaré.
O dia amanheceu. Era domingo, dia 1º de agosto, às oito horas da manhã, aconteceu a missa, com a igreja lotada por fiéis, inclusive os cangaceiros, desarmados, assistiam a celebração. Os noivos estavam posando para as lentes de um fotógrafo.

Nove horas - Lampião se despedia do padre na porta da igreja quando avistaram a volante comandada pelo sargento Sinhorzinho Alencar (José Alencar Pires de Carvalho), com mais de trinta homens, aproximando-se do povoado pelo riacho Carqueja.
         “- É um monte de macaco!”, gritou Livino.
Os cangaceiros pegaram as armas que estavam enfileiradas no oitão da igreja, sob o comando calmo e sereno de Lampião, porém com muita agilidade, todos formaram um cinturão de defesa, nas casas, calçadas e árvores.
         Livino ficou no meio da rua com um bornal cheio de bala na mão, sacudindo e estalando os lábios pra soldadesca, a modo de chamar os burros pra comer milho.
         Começou o tiroteio.
Caiu sem vida no principio da pipoqueira o soldado Zé Pretinho.
         Os estrondos dos mosquetões eram ensurdecedor.
         As pessoas fecharam as casas e no meio da rua ficou apenas os cangaceiros e macacos trocando tiros e insultos, com xingamento de todo lado.
         Um grupo de cangaceiros tanto atirava como cantava o hino de guerra “Mulher Rendeira” animando os companheiros.
         Logo nos primeiros tiros, os nazarenos, liderados por Gomes e João Flor, tomaram chegada e juntaram-se a policia, formando um bolsão de ataque.
         O padre e os fiéis ficaram o tempo todo deitados dentro da igreja.
O  sacristão, que neste momento já estava montado em seu cavalo, correu num pique só, até a fazenda São Miguel, pouco mais de trinta quilômetros, num rojão de impressionar.
         Era meio-dia quando os cangaceiros abandonaram o campo de luta, escapando pelos fundos da casa de Cândido Ferreira.
         Assim que saíram da rua, entra, em fila indiana, mais uma força volante comandada pelo sargento João Francisco, o popular  João Fininho, de Vila Bella, enviada pelo tenente-coronel João Nunes. Vinham acompanhando essa volante alguns homens da cabroeira de Zé Saturnino.
Agora, com os cangaceiros longe, todos os policiais dão inicio a uma sessão de abuso de autoridade e começam a atirar nas paredes e portas das casas, chutar e bater nas pessoas inocentes, causando mais pânico  na população.

O padre saiu de dentro da igreja e repreendeu com veemência o comportamento da policia, que deveria estar protegendo e oferecendo segurança. Sem temor, reclamava com autoridade:
         “- É por isso que essa gente humilde tem mais respeito aos cangaceiros do que a policia!”
Essa foi  a última vez que Lampião entrou em Nazaré.

Licor nasceu no ano de 1894 e faleceu no dia 22 de setembro de 1976.
Enoque nasceu no dia 4 de abril de 1894 e faleceu no dia 29 de setembro de 1975, em Serra Talhada.

Depois dessa investida dos cangaceiros à Nazaré,  foi criada a famosa volante dos NAZARENOS, que passou a perseguir  o Comandante das Caatingas pelos confins do sertão até o final de sua vida.


sábado, 8 de fevereiro de 2014

TEM HUMOR NO QUINTAL DO MUSEU DO CANGAÇO



=>O Quintal do Museu é o local para o GRANDE ENCONTRO DO HUMOR em Serra Talhada.

Em 23 de Fevereiro às 20h, o Quintal do Museu estará recebendo dois grandes artistas do humor brasileiro, Carlos Amorim e Rubens Santos. Após sucesso nos programas SHOW do TOM e TUDO é POSSÍVEL da REDE RECORD de televisão, eles desembarcam na cidade para uma única apresentação. Venha se divertir com esse espetáculo cheio de alegria. Apoio Secretaria de Cultura e Turismo de Serra Talhada. Você não pode perder. Informações : 87 38313860 - 99386035. 

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

CARNAVAL NA CAPITAL DO XAXADO

CARNAVAL NA CAPITAL DO XAXADO - A Secretaria de Cultura e Turismo de Serra Talhada divulgou a programação do carnaval da Capital do Xaxado. O secretário de Cultura, Anildomá Willans optou por fazer uma festa primando pela valorização da diversidade de ritmos com olhar especial para blocos e troças.
O carnaval de Serra Talhada terá dois pólos de animação, sendo um na Estação do Forró, na antiga Rede Ferroviária e o outro no Distrito de Serrinha. O potencial turístico da barragem de Serrinha, que naturalmente já atrai visitantes durante todo ano, já vem sendo alvo de ações da Secretaria de Turismo, que agora, a partir do carnaval, pretende incrementar ainda mais.
A Barragem que acumula durante o inverno mais de 300 milhões de metros cúbicos de água, desde o início tem se apresentado como uma saída econômica, tanto para produção de peixes, verduras e cereais, como também como produto turístico, já que oferece uma beleza impar ao visitante e a oportunidade de desfrutar de banhos refrescantes em plena caatinga sertaneja.
“O polo de Serrinha não é apenas a colocação de um palco no local, nossa intenção é transferir para a localidade os holofotes como atrativo turístico, conhecemos o potencial e queremos investir nisso”, informou Anildomá, lembrando ainda que toda uma estrutura para preservação ambiental já está sendo montada pelo município.

PROGRAMAÇÃO

POLO ESTAÇÃO:

SÁBADO (01.03.14)
A PARTIR DAS 20:30 HORAS
Maracatu Nação Império
Orquestra Vilabelense de Frevo/Passistas
Alto Swing
Forró Griff Elétrico

DOMINGO (02.03.14)
A PARTIR DAS 20:30 HORAS
Orquestra Metais Vibrantes/Passistas
Bom Axé
Forró Bakana Elétrico

SEGUNDA (03.03.14)
A PARTIR DAS 20:30 HORAS
Orquestra Vilabelense de Frevo/Passistas
Serra Samba do Swing
UZ Frajolaz

TERÇA (04.03.14)
A PARTIR DAS 20:30 HORAS
Orquestra Metais Vibrantes/Passistas
Banda Vizzú
Swing Dang

POLO SERRINHA:

SÁBADO (01.03.14)
A PARTIR DAS 12:00 HORAS
Orquestra Metais Vibrantes/Passistas
Banda Vizzú

DOMINGO (02.03.14)
A PARTIR DAS 12:00 HORAS
Novinho da Huanna
Orquestra Vilabelense de Frevo/Passistas
Serra Samba do Swing

SEGUNDA (03.03.14)
A PARTIR DAS 12:00 HORAS
Alto Swing
Orquestra Metais Vibrantes/Passistas

TERÇA (04.03.14)
A PARTIR DAS 12:00- HORAS
Orquestra Vilabelense de Frevo/Passistas
Novinho da Huanna


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

CINE JANGADA - UM JEITO NORDESTINO DE VER CINEMA



=>A praia é um espaço democrático e pode ser palco de uma sala de cinema onde os filmes são vistos numa vela de embarcação. Este é o clima do CINE JANGADA  que será realizado no dia 08.02.2014 (sábado), na  Praia de Brasília Teimosa, a partir das 19h.

A ideia é do cineclubista e cineasta Hermano Figueiredo que faz do momento de exibição audiovisual um espaço rico de interações. O Cine Jangada  já passou pelas praias de Goiânia, Itamaracá e Ipojuca e agora chega na cidade do Recife.

No Cine Jangada são exibidos filmes curtos nordestinos. A curadoria selecionou produções de diversos estados da região Nordeste, revelando uma diversidade de temáticas, gêneros, estilos e sotaques. O que está em evidência é o olhar dos nossos realizadores e suas leituras de mundo que ganham cada vez maior destaque na produção audiovisual brasileira", afirma  Figueiredo, curador e coordenador técnico do projeto. 

Alguns dos curtas metragens exibidos são resultados da interação do Cine Jangada com a comunidade. O projeto vem desenvolvendo filmes, possibilitando que o público local possa se ver na tela. Em  Brasília Teimosa,  o curta produzido apresenta  a cultura como fator de resistência comunitária.

O CINE JANGADA chega em Pernambuco numa realização da Associação Satélite, em parceria com a Manguaba Produções, com o Incentivo do Funcultura, Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura, Governo do Estado de Pernambuco. Conta com o apoio institucional da FEPEC, Federação dos Cineclubes de Pernambuco e apoio local  da Escola Mangue e da  Prefeitura da Cidade do Recife.

=>Serviço CINE JANGADA  
Quando: Sábado, 08 de fevereiro de 2014, a partir das 19h
Onde: Praia de BRASÍLIA TEIMOSA-PINA (Próximo ao Restaurante Biruta), Recife-PE
Acesso: GRATUITO

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

BORBOREMA VAI RECEBER A CARAVANA CULTURA VIVA

CARAVANA CULTURA VIVA - O ARTISTA  indo onde o POVO está, com a ARTE  feita pelo POVO, ela não reproduz o que vemos. Ela faz-nos ver.
CARAVANA CULTURA VIVA – Agora é a vez do Bairro Borborema receber a Caravana Cultura Viva com diversas atrações artísticas, fazendo as populações de cada comunidade visitada se divertirem enquanto apreciam atrações de qualidade. Os esquetes teatrais com Virgolino e Maria, danças populares como Frevo, Ciranda, Samba de Coco, Xaxado, Percussão e a participação do POETA GONGA MONTEIRO
A CARAVANA CULTURA VIVA no dia 16 de fevereiro (DOMINGO), no Bairro da Borborema, será na Rua da Caixa D’Água, às 19 horas, sendo uma promoção da Prefeitura Municipal de Serra Talhada / Secretaria de Cultura e Turismo. 



LUTO - EDUARDO COUTINHO É ASSASSINADO


FOI ASSASSINADO - O cineasta Eduardo Coutinho, de 80 anos, foi assassinado a facadas neste domingo por volta das 11h50 dentro de casa, no bairro da Lagoa, zona sul do Rio. O filho, Daniel Coutinho, é tido como o principal suspeito, segundo a polícia.
De acordo informações da Divisão de Homicídios, ele também seria o responsável por esfaquear a mãe e, em seguida, teria tentado se matar.
A mulher do cineasta, Maria Oliveira Coutinho, 62, foi socorrida pelos bombeiros no apartamento onde mora a família, e internada em estado grave no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul.
O filho também foi levado para lá, com ferimentos menos graves, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil. Segundo vizinhos do cineasta, Daniel, que morava com os pais, sofria de esquizofrenia.
O corpo de Coutinho foi encaminhado ao IML, onde foram feitos exames que constataram a morte por ação de objeto perfuro-cortante. O laudo final será divulgado em 30 dias, no qual será descrito o tipo de arma e outros detalhes do crime.
Como a família ainda não levou documentos para seguir com o processo, o corpo não deve ser liberado hoje. A previsão é que isso ocorra nesta segunda-feira. Não foi marcado ainda o enterro nem o velório.
Natural de São Paulo, Eduardo Coutinho era considerado um dos principais documentaristas do Brasil.
Entre seus trabalhos de maior destaque estão "CABRA MARCADO PARA MORRER" (1985), "Edifício Master" (2002), "Jogo de Cena" (2007) e "Babilônia 2000" (1999). Em 2007, o cineasta ganhou um Kikito de Cristal, principal premiação do cinema brasileiro, pelo conjunto da obra. Seu trabalho caracteriza-se pela sensibilidade em retratar na telona pessoas comuns.
Grande homenageado da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em 2013, Eduardo Coutinho, em entrevista à Folha em outubro passado,renegou o cinema como "instrumento político de intervenção no que o público pensa ou deveria pensar".
"O filme militante é uma tragédia porque já está escrito antes. Convencer o já convencido é terrível, fazer um filme para convencer alguém é terrível", disse o documentarista. Ao todo, Coutinho lançou 22 filmes durante sua carreira.

CARREIRA
Em 1954, aos 21 anos, teve seu primeiro contato com cinema em seminário promovido pelo Masp. Trabalhou como revisor na revista "Visão", dirigiu peça infantil e especializou-se em roteiro.
Em 1975, passou a integrar a equipe do programa "Globo Repórter", da TV Globo, onde permaneceu até 1984.
Após o sucesso de "Cabra Marcado Para Morrer", Coutinho passou alguns anos trabalhando com documentários em vídeo para o Centro de Criação da Imagem Popular, com temas ligados a cidadania e educação.
São dessa época projetos como "Santa Marta - Duas Semanas no Morro" (1987) e "Boca de lixo" (1993), visões humanistas e pessoais sobre indivíduos e populações marginalizadas.
Em 1988, com o centenário da Abolição da Escravatura, foi estimulado pela Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro a realizar um documentário sobre a população negra na História do Brasil.
Surgia então o esboço de "O Fio da Memória", centrado na figura do artista popular Gabriel Joaquim dos Santos, concluído três anos mais tarde, com o apoio das emissoras de televisão La Sept (França) e Channel Four (Inglaterra).

FILMOGRAFIA - EDUARDO COUTINHO
- "O Pacto" - Episódio de "ABC do Amor" (1966)
- "O Homem que Comprou o Mundo" (1968)
- "Faustão" (1971)
- "Cabra Marcado para Morrer" (1985)
- "Santa Marta - Duas Semanas no Morro" (1987)
- "Volta Redonda - Memorial da Greve" (1989)
- "O Fio da Memória" (1991)
- "A Lei e a Vida" (1992)
- "Boca de Lixo" (1993)
- "Os Romeiros do Padre Cícero" (1994)
- "Seis Histórias" (1995)
- "Mulheres no Front" (1996)
- "Santo Forte" (1999)
- "Babilônia 2000" (2000)
- "Porrada" (2000)
- "Edifício Master" (2002)
- "Peões" (2004)
- "O Fim e o Princípio" (2005)
- "Jogo de Cena" (2007)
- "Moscou" (2009)
- "Um Dia na Vida" (2010)
- "As Canções" (2011)
Fonte: Livro "Eduardo Coutinho" (2013), org. Milton Ohata, ed. Cosac Naify