Vídeos

Loading...

segunda-feira, 29 de junho de 2015

UMA HISTÓRIA DE TRAIÇÃO, AMOR E ÓDIO NOS SERTÕES DO BRASIL

 
Há 77 anos, o terrível encontro entre militares do Governo Getulista e cangaceiros liderados por Lampião e sua esposa, Maria Bonita, estes pegos de surpresa e quase sem nenhuma reação na madrugada de 28 de julho de 1938, na grota de Angico, em Sergipe, pôs fim à chamada Era do Cangaço. Em meio àquelas árvores retorcidas da caatinga, resultando num verdadeiro banho de sangue no sertão nordestino, 11 integrantes do afamado bando, incluindo o casal líder, foram mortos e tiveram suas cabeças decepadas. 
Esta tragédia verdadeira é o tema do grandioso espetáculo ao ar livre e gratuito “O Massacre de Angico – A Morte de Lampião”, concebido a partir do texto dramatúrgico escrito pelo pesquisador do Cangaço, Anildomá Willans de Souza, natural de Serra Talhada, mesma cidade onde Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião, nasceu.
Numa realização da Fundação Cultural Cabras de Lampião, a montagem chega ao 4º ano com absoluto sucesso e será apresentada de 22 a 26 de julho às 20h na antiga Estação Ferroviária. 
A frente da encenação, que conta com mais 80 profissionais entre atores/atrizes, equipe técnica e produção, está um mestre das grandes encenações teatrais ao ar livre no Estado, o diretor, ator, dramaturgo e iluminador José Pimentel.
Com cenas de relances quase cinematográficos, “O Massacre de Angico – A Morte de Lampião” reconta a vida do Rei do Cangaço, desde o desentendimento inicial de sua família com o vizinho, Zé Saturnino em Serra Talhada, sua terras faziam extrema e os jovens viviam em pé de guerra por pura vaidade.
Para evitar uma tragédia, que de fato aconteceu, seu pai, Zé Ferreira, seguiu com os filhos para Alagoas, mas acabou sendo assassinado por vingança. Revoltados,Virgolino Ferreira da Silva e seus irmãos entregaram-se ao Cangaço, movimento que deixou muito político, coronel e fazendeiro apavorado nas décadas de 1920 e 1930 no Nordeste. Temidos por uns e idolatrados por outros, os cangaceiros serviram como denunciantes das péssimas condições sociais daquela época, tanto que a honra e bravura de Lampião foram decantadas pelos poetas populares, ao mesmo tempo em que o Governo o via como uma doença que precisava ser eliminada.

      Foi pela decisão do então presidente da República, Getúlio Vargas (cena presente no espetáculo), que as tropas militares conseguiram preparar, após diversas tentativas, uma emboscada em local propício, de única entrada e saída. Mas, até sua morte, fatos importantes da trajetória deste homem que marcou a história do Brasil, afamado como herói e bandido, são revelados, como seu encontro com Padre Cícero para receber a patente de capitão do Exército Patriótico; seu amor à esposa, a quem chamava de Santina, a festa da cabroeira dançando xaxado e coco; culminando com a traição de Pedro de Cândida, coiteiro que foi torturado pelos militares e acabou informando o local de repouso dos cangaceiros em terras sergipanas (Lampião foi assassinado aos 41 anos. Maria Bonita estava com 27).
         No elenco, atores de Serra Talhada, mas também do Recife, Olinda e Limoeiro além da atriz/cantora Roberta Aureliano, que interpreta Maria Bonita e é natural de Maceió, Alagoas, mas passou toda a infância na Capital do Xaxado.
         Venha viver conosco essa história de traição, amor e ódio.

serviço:
O Massacre de Angico – A Morte de Lampião
Local: Estação Ferroviária de Serra Talhada
Às 20 horas - Entrada Gratuita
Realização: Fundação Cultural Cabras de Lampião 

quinta-feira, 25 de junho de 2015

EM SERRA TALHADA, TERRA DE LAMPIÃO E CAPITAL DO XAXADO, A CULTURA ACONTECE

Nesta sexta-feira 26 de junho acontece mais uma edição do ‘SEXTA DA VIOLA’ no Quintal do Museu do Cangaço, com os Poetas Cantadores ZÉ FERNANDES e LEVY FERREIRA, que com suas violas e rimas vão alegrar o público e tecer versos sobre diversos motes sugeridos pelo amantes da poesia  fiel ao evento que chega a 5ª edição este mês. “Está tudo preparado, foi um sucesso nos últimos meses, tanto de publico, quanto de versos e rimas, assim não tenho dúvida que novamente será uma grande noite da cultura popular e da poesia”; diz Damião Enésio um dos organizadores da empreitada que conta com a parceria da Fundação Cultural Cabras de Lampião e o apoio da Secretaria de Cultura e Turismo da Capital do Xaxado, além, claro dos Amigos da Viola que contribuem para a manutenção mensal da 'SEXTA DA VIOLA NO QUINTAL DO MUSEU'.

O evento terá inicio às 20 horas; com entrada gratuita e classificação indicativa livre para todas as idades, classes e cultos, anunciamos ainda que o Museu do Cangaço estará aberto nesta noite para visitação, contando a história do cangaço, Lampião, Maria Bonita e seu bando.

* SERVIÇO: 

Sexta da Viola
dia 26/06/2015 às 20h
Quintal do Museu do Cangaço (estação)
Entrada Franca

EXPOSIÇÃO E OFICINAS DO PROJETO ESPELHO D’ÁGUA CIRCULAM POR TRÊS CIDADES RIBEIRINHAS DE PE

Divulgação
Espelho d’Água foi idealizado por Rachel Ellis e conta com curadoria do fotoativista e educador paraense Miguel Chikaoka
Petrolina, Santa Cruz do Capibaribe e Palmares são os municípios ribeirinhos escolhidos para receber a exposição Espelho D’Água. A circulação do projeto começará segunda-feira (29), em Petrolina, e marcará o encerramento do mês dedicado ao meio-ambiente. Incentivado pelo Funcultura, a iniciativa, que foi idealizada pela produtora, fotoativista e educadora Rachel Ellis, conta com curadoria do fotoativista e educador Miguel Chikaoka (PA) e produção da Arraia Produções.
Além da exposição, serão oferecidas gratuitamente  várias atividades ao público. Em cada município, haverá uma oficina de pinlux (fotografia pin hole com caixas de fósforo) que ofecerá 60 vagas para os moradores locais. Também será lançado um catálogo no qual seguem encartados cartões-postais produzidos a partir das fotografias que compõem a exposição e registros da metodologia, além de DVD com vídeo do projeto. O blog (espelhodagua2015.wordpress.com), criado para acompanhar o primeiro momento do projeto, será atualizado a medida que forem marcadas as novas oficinas e exposições e forem acrescentadas as imagens das oficinas.
Os três municípios foram escolhidos por se encontrarem às margens de rios importantes em Pernambuco, que passam por transformações devido aos processos de desenvolvimento econômico em cada local: São Francisco (Petrolina), Capibaribe (Santa Cruz do Capibaribe) e Una (Palmares).
Histórico
A exposição apresenta resultados e documenta o processo das oficinas ocorridas entre junho e julho de 2010, dentro do projeto homônimo patrocinado pelo BNB Cultura em outras comunidades ribeirinhas do São Francisco. As atividades foram facilitadas por Rachel Ellis com registros em foto e vídeo realizados pelo cineasta e artista Gabriel Mascaro. Mais de 60 pessoas de origens e realidades bem diferentes foram atendidas na Ilha de Assunção (Povo Truká, Cabrobó, PE), Olho d’Água do Casado (AL), Santarém (BA) e Quilombola Barra da Parateca (Carinhanha, BA). As turmas foram mobilizadas pelas associações de moradores de cada comunidade.

Antes de chegar ao que poderia ser chamado de produto final, a fotografia, em cada oficina houve debates e reflexões em torno do rio alimentadas por exercícios ópticos, mapeamentos, pinturas e textos que prepararam os alunos para além dos olhos. As máquinas fotográficas artesanais – pinlux – também foram construídas ao longo da semana, sendo utilizadas apenas no último dia.
Ao final das oficinas, os alunos escolheram uma de suas fotos para montá-la como cartão-postal artesanal e enviá-la a outra comunidade com uma mensagem escrita no verso. Assim, se articulou uma rede de comunicação visual poética.
Montagem
Na exposição, que deverá passar quatro semanas em cada local, vinte imagens dos participantes das oficinas estarão expostas, assim como uma representação fotográfica da rede criada a partir dos cartões-postais enviados. Também serão reproduzidas algumas das ferramentas pedagógicas utilizadas nas oficinas e instruções de montagem das câmeras pinlux.

Além disso, haverá a projeção de um vídeo, registro das oficinas nas quatro comunidades, que inclui depoimentos dos participantes sobre o processo de aprendizagem e de moradores com relatos de histórias tradicionais, que trazem à tona o imaginário da comunidade em relação ao Rio. O ambiente sonoro ribeirinho será representado por recipientes microfonados cheios de água em que as pessoas poderão interferir.
Sobre as fotos em exibição, Rachel Ellis reflete: “Cada participante construiu uma câmerafotográfica artesanal que usou para registrar suas ideias, impressões sobre o rio e a sua convivência com ele. O resultado imagético das fotografias foge do naturalismo e se lança numa viagem onírica, quase como num sonho. Ao invés do realismo fotográfico, tem-se uma imagem borrada, distorcida, irregular, aberta, propositiva. A água enquanto abstração de um sonho”.
Oficina
Em cada município, será realizada uma oficina de fotografia usando a técnica pin hole com 6h/aulas de duração oferecidas a professores. O resultado esperado são cartões-postais a serem trocados entre as três localidades. As inscrições serão gratuitas e deverão ser realizadas nos locais de exposições com os monitores.

Rachel Ellis
Mestre em Politicas Públicas, Planejamento e Participação Social pela London School of Economics. Ela co-fundou o projeto FotoLibras  em 2007 que marcou o começou de seu trabalho com fotografia e inclusão. É fundadora do GEMA, coletivo que desenvolve projetos que utilizam as artes visuais para promover a transformação social. E é sócia-diretora da produtora DESVIA, onde ela fica de frente do desenvolvimento de projetos audiovisuais e as ações educativas de distribuição.


sábado, 13 de junho de 2015

CICLO JUNINO É MARCADO POR AULA ESPETÁCULO DO GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO

AULA ESPETÁCULO XAXADO, XOTE E BAIÃO, COM OS CABRAS DE LAMPIÃO fazendo as pessoas reviverem a magia da cultura do sertão, que mais se destaca nos ritmos do CICLO JUNINO, com ênfase na influência do Cangaço, despertando em cada lugar visitado o interesse pela sua cultura e história. o projeto incentivado pelo FUNCULTURA - GOVERNO DE PERNAMBUCO, visita 8 escolas de ensino de referencia nas 4 macro regiões do Estado. veja abaixo imagens das 6 primeiras cidades que já receberam as apresentações. Fotos de Carlos Silva.



































segunda-feira, 8 de junho de 2015

AULA ESPETÁCULO XAXADO, XOTE E BAIÃO COM OS CABRAS DE LAMPIÃO


Encerrado o XI ENCONTRO NORDESTINO DE XAXADO, coberto de sucesso, o GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO organiza a bagagem e parte pra mais uma turnê percorrendo todas as regiões do Estado, fazendo apresentações com a AULA ESPETÁCULO XAXADO, XOTE E BAIÃO, COM OS CABRAS DE LAMPIÃO para  fazer as pessoas reviverem a magia da cultura do sertão, que mais se destaca nos ritmos do  CÍCLO JUNINO, com ênfase na influência do  Cangaço, despertando em cada lugar visitado o interesse pela sua cultura e história. O projeto tem como propósito fortalecer o XAXADO (Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, de acordo com a Lei Estadual 13.776 publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco em 26/09/2009) em seu estado de origem  através do GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO, que é o maior divulgador dessa dança e que mantém viva conforme criada pelos cangaceiros.

O GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO se apresentará em Escolas de Referência, conforme agenda:

DIA 10.06.15:
RECIFE, às 09 horas, na Escola de Referência em Ensino Médio de Beberibe.
OLINDA, às 15 horas, na Escola de Referência em Ensino Médio Padre Francisco Carneiro.

DIA 11.06.15:
VICÊNCIA, às 09 horas, na Escola de Referência Padre Guedes.
BOM JARDIM, às 14 horas, na Escola Erem Dr. Mota Silveira.

DIA 12.06.15:
PALMARES, às 09 horas, na Escola Erem - Monsenhor Abílio Américo Galvão.
CARUARU, às 13 horas, na Escola Erem. Nelson Barbosa.

DIA 17.06.15:
ARCOVERDE, às 09 horas, na Escola Senador Vitorino Freire.

DIA 19.06.15:
SANTA MARIA DA BOA VISTA, às 10 horas, na Escola de Referência Profª  Edite Matos.


O Projeto AULA ESPETÁCULO XAXADO, XOTE E BAIÃO, COM OS CABRAS DE LAMPIÃO tem o patrocínio do Funcultura / Fundarpe / Secretaria Estadual de Cultura / Governo de Pernambuco.

AGRADECENDO AO PREFEITO LUCIANO DUQUE


AGRADECENDO AO PREFEITO LUCIANO DUQUE - Uma convergência de ideias e forças, com disposição e tenacidade, planejamento o empreendedorismo contribuiu com o sucesso do XI ENCONTRO NORDESTINO DE XAXADO, realizado esta semana aqui em Serra Talhada. Nossa cidade merece ações e atividades como estas que promove a autoestima. Em meio ao êxito, queremos agradecer ao prefeito LUCIANO DUQUE pelo apoio e parceria, por estar presente recebendo aos grupos, por confiar na equipe, sem medir esforços na criação das condições para que a cultura popular corra livre nas veias dos serra-talhadenses. Merecidamente ele foi um dos que recebeu a COMENDA VIRGOLINO FERREIRA DA SILVA – não por uma ação específica – mas pela sua história, de longo tempo, em momentos mais difíceis e desafiadores, sempre ao nosso lado, bravo e desafiador, valente além do limiar, defendendo ferozmente a identidade cultural do sertão e notadamente de Serra Talhada.
Luciano, você é um cangaceiro da cultura, temos orgulho em estarmos militando ao seu lado, temos segurança em gozarmos do prestígio de termos como companheiro, de representar os anseios mais profundos, das raízes em movimento, nutre e oxigena o sangue da história que circula nas veias e faz pulsar a cidade do coração da gente.
Saudações cangaceiras.
FUNDAÇÃO CULTURAL CABRAS DE LAMPIÃO

IMAGENS MARCANTES DO XI ENCONTRO NORDESTINO DE XAXADO











quarta-feira, 3 de junho de 2015

E O ENCONTRO NORDESTINO DE XAXADO COMEÇOU


Começou hoje pela manhã o Encontro Nordestino de Xaxado, com apresentações nas Escolas Methódio de Godoy Lima, Antonio Timoteo, Colégio Municpal Conego Torres e Pátio da Feira Livre.
  A Fundação Cultura Cabras de Lampião celebra seus vinte anos de estreia promovendo este evento, nos dias 03, 04, 05, 06 e 07 de junho de 2015, reunindo grupos de todo Nordeste, com convidados do Norte e Sul, incluindo outros ritmos, para festejar a cultura popular.
 
A noite a Programção continua eacontece a abertura oficial do evento com salva de tiros com ogrupo de bacamarteiros, lançamento do filme PAPO AMARELO e várias apresentações de grupos de danças que já estão presentes na Capital do Xaxado e fechando a primeira noite teremos 0 Arnor de Lima e seu trio de forró pé de serra. 

segunda-feira, 1 de junho de 2015

SERRA TALHADA PRESENTE EM SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SISTEMAS DE CULTURA


Começa hoje o Seminário Internacional de Sistemas de Cultura: Política e Gestão Cultural Descentralizada e Participativa, que será realizado de 1º a 3 de junho, em Brasília (DF).

Organizado pela Secretaria de Articulação Institucional do Ministério da Cultura (SAI/MinC), o evento terá representantes de todos os estados brasileiros, do Distrito Federal e de quatro países: Colômbia, Espanha, França e Uruguai.

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, fará a abertura do seminário, no Memorial Darcy Ribeiro, da Universidade de Brasília (UnB). Nos outros dois dias, o Seminário Internacional será realizado no Hotel Nacional.
A primeira mesa, das 9h às 12h30, trará o painel Gestão Pública da Cultura: Visão Sistêmica – descentralização e participação. No período da tarde, das 14h às 17h30, haverá painéis sobre os desafios e perspectivas do processo de estruturação do Sistema Nacional de Cultura (SNC).

No segundo dia, das 9h às 12h30, o painel será sobre Planos Estaduais e Municipais de Cultura: Ferramentas de planejamento e participação social, com participação do Ator, Dançarino e Produtor Cultural Karl Marx, representando o Sistema Municipal de Cultura de Serra Talhada. Entre 14h e 17h, haverá uma roda de conversa com troca de experiências sobre os Sistemas Estaduais.
Mais informações no site culturadigital.br/sisc.
*Com informações do site do MinC