Vídeos

Loading...

terça-feira, 10 de novembro de 2015

IX ENCONTRO DAS CULTURAS POPULARES E TRADICIONAIS 20 a 29 de novembro 2015

SERRA TALHADA

Serra Talhada é conhecida como a capital do xaxado e fica a 415 km da capital pernambucana, Recife. Serra Talhada é a segunda cidade mais importante do Sertão de Pernambuco. Cidade polo em saúde, educação e comércio, possui uma população superior a 80 mil habitantes. É a terra natal do cangaceiro Virgolino Ferreira da Silva (Lampião).
Serra Talhada era uma fazenda de criação pertencente ao português Agostinho Nunes de Magalhães. Recebeu este nome, Serra Talhada, devido ao fato de que perto do local há uma montanha cujo formato dá a ideia de que foi cortada a prumo.
Seu crescimento se deu em função de sua posição estratégica, no cruzamento das estradas de acesso à Paraíba, Bahia e Ceará.
Com a Lei Provincial nº 280, de 6 de maio de 1851, agregando a seu território a então Vila Bela e a Comarca de Flores, foi elevada à categoria de município.
Administrativamente, o município é formado pela sede e pelos distritos de Bernardo Vieira, Pajeú, Tauapiranga, Caiçarinha da Penha, Logradouro, Luanda, Santa Rita e Varzinha.
Um dos seus mais importantes patrimônios é a feira de Serra Talhada, que hoje tem aproximadamente 220 anos, sendo que desde a primeira vez que aconteceu na segunda-feira, continua até hoje sendo realizada neste mesmo dia da semana.
Com o comércio surgido pelo ajuntamento dos vaqueiros, peões e tropeiros, a fazenda começa a tomar ares de povoado e logo se transforma em Villa Bella, nome adotado quando de sua emancipação de Flores, até então cabeça de comarca, em 6 de Maio de 1851. A partir dessa data passa a ter um intendente, o Coronel da Guarda Nacional Manoel Pereira da Silva Comendador da Ordem da Rosa e de Cristo neto do fidalgo da Casa da Torre José Carlos Rodrigues e sua esposa Ana Joana Pereira da Cunha, fundadores das históricas Fazendas Sabonete, Carnaúba, patriarcas da poderosa família Pereira que foram senhores e barões de toda ribeira do Pajeú, verdadeiros ícones do coronelismo brasileiro.
Em 1893 é instalada a primeira Câmara Municipal de Serra Talhada e eleito seu primeiro prefeito, Andrelino Pereira da Silva, o Barão do Pajeú. Somente em 1939, por um decreto do então governador Agamenon Magalhães, Villa Bella recebe de volta seu nome de origem e passa a chamar-se Serra Talhada – “Terra de cabra Macho”.

ENCONTRO DAS CULTURAS POPULARES E TRADICIONAIS

                O Encontro reunirá lideranças dos povos e comunidades tradicionais, Mestres e Mestras das expressões culturais populares e interlocutores destes segmentos de todo o país, além de artistas e outras representações em grupos de trabalho, comissões, colegiados, conselhos e outras instâncias de pactuação da sociedade civil com o Estado para a elaboração, monitoramento e avaliação de políticas públicas.
                A Rede de Culturas Populares e Tradicionais é um movimento gestado no início dos anos 2000 e que, hoje, reúne mais de 25 mil pessoas de todo o país em permanente debate sobre os problemas e as potencialidades do setor, contribuindo para sua estruturação, reconhecimento e desenvolvimento sociocultural. Através de suas instâncias, sendo o Encontro a principal delas, seus membros vivenciam profundamente e intercambiam aspectos da diversidade cultural brasileira, abrangendo as Culturas Populares, o Artesanato, o Hip Hop, as Culturas Indígenas, o Circo, o Teatro de Rua, o Patrimônio Imaterial, as Culturas Afro-brasileiras, Povos de Matriz Africana e outros Povos e Comunidades Tradicionais.

                Uma grande mostra cultural abordará a produção artística, a culinária, o artesanato e a religiosidade, além de outros aspectos fundamentais do universo simbólico popular e tradicional, partindo-se da diversidade nacional para estabelecer um diálogo com as matrizes culturais nordestinas, sobretudo a Pernambucana e, em especial, a do Vale do Pajeú. Nesta região encontra-se a cidade de Serra Talhada, berço de Lampião e capital do Xaxado, escolhida como sede do Encontro, o nono desde que a Rede ganhou estrutura formal em 2006. Exposições, rodas de conversa, mostra de cultura alimentar, feira de artesanato, vivências e apresentações recriarão o ambiente das festas populares e tradicionais

Nenhum comentário: