Vídeos

Loading...

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

SECRETÁRIO DE CULTURA E TURISMO DA CAPITAL DO XAXADO É EMPOSSADO CONSELHEIRO DO PATRIMÔNIO CULTURAL

Dialogar sobre a política pública de cultura no que diz respeito ao patrimônio cultural, inclusive deliberando a respeito de ações como tombamento de patrimônios materiais e eleição de novos Patrimônios Vivos. Esta é a função do novo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, que toma posse nesta terça (28). O início do processo de mudança começou a partir de 2013, quando o então Governador Eduardo Campos tomou a decisão de que Pernambuco aderisse ao Sistema Nacional de Cultura (SNC), que por sua vez orientava as gestões de cultura dos estados e municípios brasileiros a composição de um conselho paritário, entre outros pré-requisitos (Fundo, Plano, etc).
Roberto Pereira
Roberto Pereira
Governador Paulo Câmara empossou os representantes da sociedade civil e do poder público nesta terça, 29/12
Foi extinto o então Conselho Estadual de Cultura (CEC) e teve início, no âmbito do Sistema Secult-PE l Fundarpe, a discussão para elaboração de dois novos conselhos: um para deliberar a respeito da preservação do patrimônio e outro para questão da política cultural de forma geral. O processo para criação dos dois conselhos continuou ao longo de 2014, quando foram elaborados dois projetos de lei, cuja condução coube ao então secretário de Cultura Marcelo Canuto, e ao então presidente da Fundarpe Severino Pessoa, juntamente com a Assessoria Jurídica da Casa Civil. Os projetos de lei foram enviados para a Assembleia Legislativa, onde ocorreram audiências públicas, antes da aprovação em plenário, resultando na Lei no 15.429, que trata da criação do Conselho Estadual de Política Cultural (CEPC), bem como na Lei no 15.430, que trata do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC).
A partir deste ano de 2015, aconteceram os processos eletivos para os dois conselhos. O Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural será composto, de forma paritária, por 14 (quatorze) representantes, sendo 7 (sete) eleitos como representantes da Sociedade Civil, e outros 7 (sete) designados pelo Governo. O processo eletivo foi participativo, democrático e transparente: contemplou as etapas de inscrição, sendo habilitadas 210 pessoas. Em seguida aconteceram fóruns específicos por segmentos culturais, convergindo para uma plenária final para a qual foram eleitos 35 delegados, sendo cinco representantes de cada um dos sete segmentos da sociedade civil que comporão o conselho, conforme definido em decreto.
Os segmentos que representam a sociedade civil no conselho são os seguintes: Arquitetura, Urbanismo, Geografia e Engenharia; Arqueologia, História e Museologia; Antropologia, Sociologia e Turismo; Movimentos sociais de urbanismo e de meio-ambiente; Centros de Documentação e Memória: Arquivos, Bibliotecas, Espaços de Memória e Museus; Comunidades tradicionais e /ou religiosas, costumes, saberes e formas de expressão; e Expressões culturais de Pernambuco registradas como Patrimônio Cultural Imaterial. A conclusão do processo se deu com a plenária final, no último dia 30 de novembro, onde foram eleitos 7 (sete) conselheiros titulares e 7 (sete) conselheiros suplentes.
Para o secretário de Cultura Marcelino Granja, a posse deste Conselho representa uma conquista histórica do segmento cultural de Pernambuco. “Tínhamos uma demanda histórica para a atualização deste Conselho e o Governo do Estado, iniciando com o governador Eduardo Campos e continuando com os demais gestores, fizeram a mudança. Agora os conselheiros irão elaborar seu próprio regimento e começar a trabalhar, auxiliando nos debates, nas ações, incluindo a busca por mais recursos para a cultura”, destaca Marcelino. Para a presidente da Fundarpe Márcia Souto o conselho será de grande contribuição para aquela que é a principal vocação da Fundarpe: o patrimônio cultural. “Precisamos debater cada vez mais a política para este segmento e o novo conselho está fortalecido e mais qualificado para fazer este debate”, pontua a presidente.
CONSELHO DE POLÍTICA CULTURAL – O processo eletivo para formação do Conselho Estadual de Política Cultural continua em curso. Já foram realizados dez fóruns, de onde saíram cinquenta representantes para a plenária final. Ainda serão realizados mais dez, totalizando os vinte fóruns, de acordo com os vinte assentos definidos em decreto e que comporão a parte da sociedade civil neste conselho. O último fórum está previsto para acontecer no dia 16 de fevereiro e, somente após esta data, será estabelecida a data da plenária final e, posteriormente, a posse do Conselho de Política Cultural.
Roberto Pereira
Roberto Pereira
Conselheiros foram eleitos em fóruns de diversos segmentos ligados à preservação do patrimônio
Conselheiros representantes da sociedade civil no Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural:
Arquitetura, Urbanismo, Geografia e Engenharia
Titular: Terezinha de Jesus Pereira da Silva
Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Pernambuco (1976), com mestrado em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco (1992) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade do Porto – Portugal (2002). Atualmente é professora da UFPE, com experiência na área de Arquitetura e Urbanismo.

Suplente: Rodrigo José Cantarelli Rodrigues
Arquiteto e Urbanista formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestre em Museologia e Patrimônio pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, atualmente é doutorando em História na Universidade Federal de Pernambuco. Desde 2007 é analista em Ciência e Tecnologia da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, trabalhando no Museu do Homem do Nordeste e, atualmente, no Centro de Documentação e Estudos da História Brasileira.

Arqueologia, História e Museologia
Titular: Aramis Macêdo Leite Junior
Licenciado em História e Especialista em História do Nordeste do Brasil pela Universidade Católica de Pernambuco. É Coordenador de Arqueologia do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP/OS) e Conselheiro suplente do Conselho Nacional de Política Cultural da Setorial Patrimônio Material (CNPC/MinC).

Suplente: Maria Regina Martins Batista e Silva
Museóloga, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestre em Antropologia pela UFPE. É diretora da Consultoria Especial em Projetos Museológicos Ltda e Conselheira Federal do Conselho de Museologia e Membro do Conselho Internacional de Museus – Comitê Brasileiro.

Antropologia, Sociologia e Turismo
Titular: Ana Julia de Souza Melo
Mestre em Turismo e em Hospitalidade. Desenvolveu e orientou diversos projetos na área de Turismo e Patrimônio Cultural, material e imaterial. É professora do curso de Turismo e Diretora do Centro de Convenções da UFPE.

Suplente: Elinildo Marinho de Lima
Graduação em Gestão de Negócios em Turismo e Hotelaria pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Pós Graduado em Gestão Pública Municipal pela UFRPE, mestrando em Ciência da Informação pelo PPGCI – UFPE. Atualmente é professor no Bacharelado em Administração Pública na EADTEC – UFRPE e Graduando em Museologia na UFPE. É membro do Conselho Municipal de Cultura de Jaboatão dos Guararapes. Atua também como mediador cultural e ministra palestras e oficinas em educação patrimonial.

Movimentos sociais de urbanismo e de meio-ambiente
Titular: Plinio Araújo Victor
Graduado e Mestre em História pela UFPE, especialização em Arqueologia. Funcionário da Prefeitura Municipal de Olinda, setor de Cultura e Preservação. Sócio fundador e atualmente membro do Conselho da SODECA, Sociedade de Defesa da Cidade Alta, de Olinda, entidade pela qual se elegeu membro do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco.

Suplente: Natan Gabriel Nigro
Arquiteto e Urbanista pela Universidade Católica de Pernambuco desde 2012. Desde 2008 também participa ativamente das ações da Sociedade em Defesa da Cidade Alta (SODECA), atuando em discussões sobre a defesa do patrimônio e da cultura da cidade de Olinda como no movimento Ocupe Eufrásio e na luta pela regulamentação da Lei do Carnaval e fortalecimento do Carnaval de rua da cidade.

Centros de Documentação e Memória: Arquivos, Bibliotecas, Espaços de Memória e Museus
Titular: Anildomá Willians de Souza
Pesquisador do cangaço, biógrafo de Lampião. Fundador da Entidade não governamental “Cabras de Lampião”, criador do Museu do Cangaço, onde trabalha a memória do homem sertanejo. Tem 04 (quatro) livros publicados abordando a temática do cangaço e lampião. Atualmente exerce a função de Secretario de Cultura e Turismo de Serra Talhada.

Suplente: Sandra Maria Verissimo Soares
Graduada em História e Mestre em Ciência da Informação pela UFPE. Professora da Rede Estadual de Ensino. Atua na área de Arquivos a mais de 10 anos. Membro da Comissão Pastoral para a Cultura da Arquidiocese de Olinda e Recife. Representante regional do Colegiado Setorial de Arquivos do Ministério da Cultura (2016 a 2017) e Consultora do Laboratório de Tecnologia do Conhecimento – LIBER da UFPE.

Comunidades tradicionais e /ou religiosas, costumes, saberes e formas de expressão
Titular: Luís de França Fernandes
Licenciado em Filosofia pelo Seminário arquidiocesano de Maceió e Teologia pelo ITER (Instituto de Teologia do Recife). Pároco da Paróquia Nossa senhora da Penha (Basílica da Penha), atua como gestor de restauro, com expertise na prática da manutenção periódica e preventiva do Patrimônio Cultural Material.

Suplente: Tiago Santos da Silva
Graduação em Filosofia pelo Instituto Salesiano de Filosofia e em Teologia pela Universidade Católica de Pernambuco. Desde janeiro de 2015 é membro da Regional Nordeste da Conferência do Religiosos do Brasil (CRB). Conselheiro da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos para a Região AL-PE-PB-RN.

Expressões culturais de Pernambuco registradas como Patrimônio Cultural Imaterial
Titular: Claudio Brandão de Oliveira
Representante do Clube de Boneco Seu Malaquias, que é também Ponto de Cultura Seu Malaquias O Gigante do Alto. É membro Comitê Gestor de Salvaguarda do Frevo, no segmento Bonecos Gigantes. Conselheiro Municipal de Política Cultural da Cidade do Recife.

Suplente: Clóvis Cosme dos Santos
Trabalhou como funcionário público no cargo de Comissário de Policia pela secretaria de defesa social (SDS-PE).

Conselheiros representantes do Governo e de Notório Saber Cultural:
Representante do poder Público Secult-PE
Titular: Marcelino Granja de Menezes
Suplente: Márcia Batista Castelo Branco Chamixaes

Representante do Poder Público Fundarpe
Titular: Márcia Maria da Fonte Souto
Suplente: Maria Antonieta da Trindade Gomes Galvão

Representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE)
Titular: Procuradora Renata Maria Santos Brayner e Silva
Suplente: Maria Cláudia Junqueira

Representantes de Notório Saber Cultural
Titular: Marcus Moraes Accioly
Suplente: André Gustavo Carneiro Leão

Titular: Reinaldo da Rosa Borges de Oliveira
Suplente: Wilton Andrade de Souza

Titular: Leonardo Antônio Dantas da Silva
Suplente: Manoel Neto Teixeira

Titular: Marcus Antônio do Prado
Suplente: Marilena Araújo de Sá


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

EDNILSON BRITO: UM GRANDE MÚSICO NATURAL DE ARCOVERDE COM NOTÓRIA ATUAÇÃO DO LITORAL AO SERTÃO



Ednilson Brito Nogueira (1961), percursionista há quase 40 anos, já trabalhou com diversos artistas da região como Geraldo Maia, Edezel de Arcoverde, participou da gravação dos dois CD’s da Banda Lampiões, “A Talhada” e “Apocalíptica” e nos LPs da Banda D’Gritos, “Barriga de Rei” e “Loucos”, Também dos LPs de Noroba, Rui Grude, Raí D’Serrat, como musico e produzindo os CD’s de Erivan Gomes  e Zé do Brejo (Triunfo), e o Grupo Folclórico de Triunfo Ambrósino Martins, junto com Zé Marques e Camilo Melo, faz parte de dois Projetos Pixinguinha entre os anos de 1986 a 1988.
Trabalhou no PETI Arte durante muitos anos ensinando percussão rítmica, Forró, Baião, Xote, Xaxado, Ciranda e Côco, a muitas crianças que hoje estão participando de bandas marciais e fazendo trabalhos em grupos musicais diversos, ora é Oficineiro de percussão dentro do Projeto de Formação Artística do Movimento Cultura Viva da Secretaria de Cultura e Turismo da Capital do Xaxado, formando novos músicos e despertando talentos na musicalidade serra-talhadense; ensinando os ritmos pernambucanos como, Ciranda, Maracatu, Côco Praieiro, entre outros, partindo do pré-suposto da teoria dos instrumentos e seus sons.

Esse notável musico, compõe, toca diversos instrumentos, e mais, confecciona de maneira artesanal alguns deles com maestria e carinho, é um cara forte, como todo sertanejo, vive adversidades inúmeras e sempre sai ileso e fortalecido, é articulado e conhecido por inúmeros músicos famosos.

No programa do Show de Geraldo Maia, alguém escreveu: “A todo esse céu, esse sol que se canta. Por essa toda (tola?) esperança que nos encanta e essas gargantas forçosamente gastas-bravas; erguendo-se no tempo, a ‘topadas’ (apesar dessa velo-cidade!) Que continuem acesas a gota e a chama... e o tempo solidifique e a luta perpetue em todos nós essa palavra amada-amarga.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FUNDAÇÃO CULTURAL CABRAS DE LAMPIÃO – RETROSPECTIVA DO SUCESSO 2015.

CINE CLUBE LAMPIÃO - A Fundação Cultural Cabras de Lampião iniciou em 2015 o projeto Cineclube Lampião, uma iniciativa que tem como objetivo exibir filmes nacionais para jovens de Serra Talhada e da região do sertão do Pajeú, em Pernambuco. Além da exibição dos filmes, após cada sessão são realizados debates para desenvolver temas relacionados à cidadania, a cultura e a história. O projeto visa dar acesso e estimular o público local à freqüentar o cinema. As exibições são gratuitas. A primeira sessão do Cine clube foi no dia 06 de março, às 14 horas, com o filme Lampião e Maria Bonita. As ações Cineclubistas são realizadas na Sala Multimídia do Museu do Cangaço (na antiga estação de trem). Projeto Incentivado pelo FUNCULTURA áudio visual da Secretaria de Cultura Estadula/FUNDARPE.










RETROSPECTIVA 2015 DA FUNDAÇÃO CULTURAL CABRAS DE LAMPIÃO EM SEUS 20 ANOS

PAPO AMARELO – O PRIMEIRO TIRO - A Fundação Cultural Cabras de Lampião, que este ano celebrou 20 anos, tendo nascido como Grupo de Xaxado Cabras de Lampião, vem ampliado suas ações e eventos culturais e se tornou O BANDO DA CULTURA DO NORDESTE, o que levou a embarcar esse ano numa nova empreitada, o áudio visual, com o filme de curta metragem PAPO AMARELO – O PRIMEIRO TIRO, com roteiro e direção de Anildoma Willans, pesquisador e historiador do cangaço, usando toda a mão de obra local, dos técnicos aos artistas que compõem o elenco dessa obra que é baseada em fatos reais. Projeto Incentivado pelo FUNCULTURA áudio visual da Secretaria de Cultura Estadula/FUNDARPE.
















sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

RETROSPECTIVA 2015 - AULA ESPETÁCULO XAXADO, XOTE E BAIÃO, COM OS CABRAS DE LAMPIÃO


Celebrando seus 20 anos de história na cultura popular o Grupo de Xaxado Cabras de Lampião circulou em junho de 2015 com a Aula Espetáculo Xote, Xaxado e Baião, para  fazer as pessoas reviverem a magia da cultura do sertão, que mais se destaca nos ritmos JUNINO, com ênfase na influência do  Cangaço, despertando em cada lugar visitado o interesse pela sua cultura e história. O projeto teve como propósito fortalecer o XAXADO (Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, de acordo com a Lei Estadual 13.776 publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco em 26/09/2009) em seu estado.

           Reviva conosco mais esse feito do Bando da Cultura do Nordeste através das imagens abaixo:













RETROSPECTIVA 2015 DO GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO

Durante o ano de 2015, quando a FUNDAÇÃO CULTURAL CABRAS DE LAMPIÃO celebrou seus vinte anos de criação, os eventos marcaram a história e as imagens testemunham o sucesso escrito com talento, tenacidade e paixão.
FESTA DAS TRADIÇÕES NORDESTINAS - turnê pelas cidades Diadema, São Paulo (capital), Araçoiaba da Serra  e Sorocaba. Destacar que pela primeira vez os CABRAS DE LAMPIÃO apresentou-se no CTN/Centro de Tradição Nordestina.