Vídeos

Loading...

quinta-feira, 30 de junho de 2016

FESTIVAL DE CINEMA DE TRIUNFO ABRE INSCRIÇÕES PARA QUATRO OFICINAS GRATUITAS


Período de inscrição é de 30 de junho a 15 de julho. Atividades também vão acontecer em Serra Talhada e Afogados da Ingazeira.

Divulgação
Divulgação
A ‘Oficina Documentando’, ministrada por Marlom Meirelles, professor em projetos de iniciação em cinema, é uma das opções disponíveis durante o festival.
O Governo de Pernambuco, através da Secult-PE e Fundarpe, anunciam a abertura das inscrições para as oficinas do 9º Festival de Cinema de Triunfo, que acontece entre os dias 8 e 13 de agosto. Toda a programação é gratuita e, nesta edição, também vai se espalhar pelas cidades de Serra Talhada e Afogados da Ingazeira.
Interessados podem se inscrever a partir da quinta-feira (30/6), nas oficinas: ‘Documentando’, com Marlom Meirelles;  ‘Videoclipe Experimental’, com Marco Bonachela e Ana Olívia Godoy; ‘Experimentando Animação’, com Paulo Leonardo; e ‘Oficinas criativas: as maiores historinhas brasileiras de todos os tempos’, com Lucas Fonseca. As  duas últimas contando com recursos de tradução em Libras.
As inscrições devem ser realizadas por e-mail: festivaldetriunfope@gmail.com (com o título“inscrição + nome da oficina”). Acompanhe a programação completa e mais detalhes abaixo. O prazo de inscrição se encerra no dia 15 de julho.
Oficina Documentando
Por meio da análise de obras de diferentes cinematografias, de reflexões teóricas e exercícios práticos, a oficina tem como objetivo estimular o olhar do aluno para a leitura e realização de obras documentais, dando a ele uma base de conhecimento sobre o desenvolvimento do documentário na história do cinema. Os participantes (que não precisam ter conhecimentos prévios na área) terão acesso às técnicas básicas de captação e edição de imagens em vídeo, além de instruções sobre a linguagem cinematográfica e as etapas e funções numa produção.
A oficina pretende estimular a consciência de que o cinema é um instrumento de construção da realidade, permitindo que os alunos observem as possibilidades de abordagem, narrativas, dispositivos e processos de trabalho. Ao final das aulas os alunos realizam um documentário digital. O filme resultante da oficina será postado na web e exibido no último dia do festival.
Facilitador: Marlom Meirelles – Diretor da Eixo Audiovisual, realizador, fotógrafo e professor em projetos de iniciação em cinema.
Faixa etária: A partir dos 14 anos
Carga horária: 20 horas/aula
Vagas: 20 participantes.
Período: 08 a 13 de agosto
Local: Escola Monteiro Lobato
Cidade: Afogados da Ingazeira
Inscrição: Encaminhar email contendo nome completo, idade, contatos (telefone e email) e uma carta de intenção com até 10 linhas sobre a participação na oficina.

- Oficina Experimentando Animação
Através da linguagem do cinema de animação, com ênfase nas técnicas experimentais, os participantes criarão experimentos animados a partir de referências visuais desenvolvendo a criatividade e expressividade de cada um. Na oficina serão abordados temas como: Técnicas e possibilidades da animação experimental; percepção do movimento e exercícios e processos básicos para a representação do movimento; etapas da realização de um curta-metragem em animação.
Facilitador: Paulo Leonardo – É graduado em Educação Artística/Artes Plásticas pela UFPE. Ministra cursos e oficinas com foco em animação, além de ter realizado diversos curtas-metragens também em formato de animação.
Faixa etária: Dos 12 aos 16 anos
Carga horária: 20 horas/aula
Vagas: 20 participantes.
Período: 08 a 12 de agosto
Horário: 14h às 18h
Local: CEU DAS ARTES  – no Bairro Caxixola
Cidade: Serra Talhada

Divulgação
Divulgação
Oficina Videoclipe Experimental, com o produtor cultural Marco Bonachela
- Oficina Videoclipe Experimental
A oficina realiza um percurso teórico sobre o gênero videoclipe, sob um olhar processual e localizado. São abordados outros tipos de produções audiovisuais ligadas ao universo da música, como teasers, coberturas de shows, lyric videos, entre outros. Compõe etapa fundamental do percurso pedagógico exercícios práticos de construção de projetos para videoclipes – contemplando orçamentos, roteiros, cronogramas, etapas de gravação, pós-produção e difusão.
Facilitadores: Marco Bonachela – Bacharel em Rádio TV e Internet (UFPE). Arte-educador, gestor e produtor cultural. Tem atuação na área de direção de projetos audiovisuais, edição e produção de projetos para TV e WEB.
Ana Olívia Godoy – Bacharel em Rádio TV e Internet (UFPE), também estudou Comunicación Audiovisual na Universidad de Salamanca (Espanha) e Direção Cinematográfica no Instituto Brasileiro de Audiovisual (RJ). Também atuou como diretora de fotografia e editora em diversas produtoras e canais de TV.
Faixa etária: A partir dos 16 anos
Carga horária: 30 horas/aula
Vagas: 25 participantes.
Público alvo: Videastas, produtores, músicos e estudantes de comunicação social, audiovisual e música, maiores de 16 anos, com ou sem experiência profissional na área.
Período: 08 a 13 de agosto
Horário: 14h às 18h
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc
Cidade: Triunfo
Inscrição: Encaminhar email contendo nome completo, idade, contatos (telefone e email), currículo resumido, equipamentos audiovisuais (caso possua) e uma carta de intenção com até 10 linhas sobre a participação na oficina.

- Oficinas criativas: as maiores historinhas brasileiras de todos os tempos
A oficina tem como base o estudo e iniciação às artes através da contação de histórias de autores infantis brasileiros como Ziraldo, Monteiro Lobato, Ruth Rocha, entre outros, propiciando uma aura de fantasia, tão preciosa a crianças. Partindo da ludicidade da contação de histórias, as atividades artísticas estão envoltas em uma atmosfera de aprendizagem, experimentação e liberdade criativa, favorecendo um ambiente onde as crianças poderão deixar sua imaginação correr livre nas produções. Explorando técnicas artísticas diversas como pintura, desenho, argila, recortes e colagens, teatro, dança entre outros materiais e linguagens, as crianças têm a chance de aprimorar capacidades psicomotoras e explorar os sentidos, contribuindo assim para um desenvolvimento não apenas cognitivo, mas também afetivo, emocional.
Facilitador: Lucas Fonseca – É graduando nos cursos de História pela Universidade de Pernambuco e Artes Visuais pela Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Museus, Arte Educação e História da Arte. Tem experiência em mediação, produção e oficinas.
Faixa etária: Crianças de 4 a 8 anos
Vagas: 15 vagas
Local: Fábrica de Criação Popular do Sesc
Cidade: Triunfo
Período: 08 a 12 de agosto
Horário: 8h às 12h
Grat@s,
Milena Evangelista
Coordenadora de Audiovisual da Secult/PE
Shirley Hunther
Assessora da Coordenadoria de Audiovisual da Secult/PE
81 3184-3076 / audiovisualpe@gmail.com

quarta-feira, 29 de junho de 2016

CIDADE NATAL DE LUIZ GONZAGA LANÇA CINE CLUBE ARARIPE COM VASTA PROGRAMAÇÃO


Divulgação
Além da exibição de filmes, durante todo o mês de julho haverá uma programação gratuita e extensa com palestras, workshops, seminários e debates sobre o universo cinematográfico
O município de Exu, no sertão, agora conta com um importante aliado para a divulgação da produção cinematográfica pernambucana. Nesta sexta-feira (1/7) acontece a sessão inaugural do Cineclube Araripe, projeto que conta com incentivo do Governo de Pernambuco, através do Funcultura. Além da exibição de filmes, durante todo o mês de julho haverá uma programação gratuita e extensa com palestras, workshops, seminários e debates sobre o universo cinematográfico.
As atividades, que começam sempre às 19h30, serão realizadas na Biblioteca Pública Luiz Francisco da Silva, vinculada à Escola Municipal São Sebastião de Tabocas, e priorizarão a exibição de trabalhos pernambucanos. Durante o mês de julho, por exemplo, todos os filmes que compõem a grade, com exceção dos curtas de animação, foram dirigidos pelo cineasta Marcos Carvalho, numa produção em conjunto com as comunidades interioranas através do Projeto Cinema no Interior e da Mont Serrat Filmes.
As sessões dos filmes, que começam sempre às 19h30, serão realizadas na Biblioteca Pública Luiz Francisco da Silva, vinculada a Escola Municipal São Sebastião de Tabocas
As sessões dos filmes, que começam sempre às 19h30, serão realizadas na Biblioteca Pública Luiz Francisco da Silva, vinculada à Escola Municipal São Sebastião de Tabocas
A sessão inaugural desta sexta vai exibir quatro filmes pernambucanos com este olhar: Entra, Lua, a Casa é Sua; Boi Ventania; Zoma; Volta pra Casa Luiz. No mesmo dia, haverá um debate com o tema “A produção Audiovisual na Região do Sertão do Araripe”, com a presença de gestores, cineastas, atores, produtores e fazedores de cultura. O público poderá participar ainda do workshop “Princípios básicos da fotografia”, ministrado pelo fotógrafo Lello Santana.
A programação segue no sábado (2), com a palestra “A biodiversidade da Chapada do Araripe e as plantas que curam”, do ator Antônio de Alencar Sampaio. Outros quatro filmes serão exibidos neste dia: Umbilina; O Saco do Velho; A Promessa; e Um Amor ao pôr do Sol.
O Cineclube Araripe, único da região selecionado pelo edital do Funcultura Audiovisual será o primeiro a ser implantado no Araripe e, em breve, estará filiado à Federação Pernambucana de Cineclubes e ao Conselho Nacional de Cineclubes, que tem sede em Brasília.
MAIS  INFORMAÇÕES NO cultura.pe

terça-feira, 28 de junho de 2016

SEXTA DA VIOLA ACONTECE NESTE DIA PRIMEIRO DE JULHO DE 2016 NO QUINTAL DO MUSEU DO CANGAÇO


   
Neste dia 01 de julho acontece mais uma edição do ‘SEXTA DA VIOLA’ no Quintal do Museu do Cangaço como os Poetas Cantadores DAMIÃO ENÉSIO & ZÉ OLIVEIRA, que com maestria e rimas vão alegrar o publico e tecer versos sobre diversos temas. No repente e na hora, apenas seguindo com o som da viola e a inspiração.
“Está tudo preparado, foi um sucesso de publico as edições anteriores e os versos e rimas, são construídos na hora, além de canções bonitas e românticas e assim, não tenho duvida que novamente será uma grande noite de arte e de poesia”. Afirma Damião Enésio, um dos organizadores da empreitada que conta com a parceria da Fundação Cultural Cabras de Lampião e o apoio da Secretaria de Cultura e Turismo da Capital do Xaxado e dos Amigos da Viola.   
O evento terá inicio às 20 horas. Com entrada gratuita e nenhuma classificação indicativa, ou seja: é livre para todas as idades, classes e cultos, anunciamos ainda que o Museu do Cangaço estará aberto nesta noite para visitação contando a história do cangaço e Lampião.


* SERVIÇO: 


Sexta da Viola
dia 01/07/2016 às 20h
Quintal do Museu do Cangaço (estação)
Entrada Franca

SEXTA DA VIOLA ACONTECE NESTE DIA PRIMEIRO DE JULHO DE 2016 NO QUINTAL DO MUSEU DO CANGAÇO


   
Neste dia 01 de julho acontece mais uma edição do ‘SEXTA DA VIOLA’ no Quintal do Museu do Cangaço como os Poetas Cantadores DAMIÃO ENÉSIO & ZÉ OLIVEIRA, que com maestria e rimas vão alegrar o publico e tecer versos sobre diversos temas. No repente e na hora, apenas seguindo com o som da viola e a inspiração.
“Está tudo preparado, foi um sucesso de publico as edições anteriores e os versos e rimas, são construídos na hora, além de canções bonitas e românticas e assim, não tenho duvida que novamente será uma grande noite de arte e de poesia”. Afirma Damião Enésio, um dos organizadores da empreitada que conta com a parceria da Fundação Cultural Cabras de Lampião e o apoio da Secretaria de Cultura e Turismo da Capital do Xaxado e dos Amigos da Viola.   
O evento terá inicio às 20 horas. Com entrada gratuita e nenhuma classificação indicativa, ou seja: é livre para todas as idades, classes e cultos, anunciamos ainda que o Museu do Cangaço estará aberto nesta noite para visitação contando a história do cangaço e Lampião.


* SERVIÇO: 


Sexta da Viola
dia 01/07/2016 às 20h
Quintal do Museu do Cangaço (estação)
Entrada Franca

segunda-feira, 27 de junho de 2016

VANETE ALMEIDA É HOMENAGEADA COM BIBLIOTECA SETORIAL DA UAST/UFRPE EM CONCORRIDA VOTAÇÃO


a

vanete2
No dia 17 de maio, após um dia inteiro de votação e mobilização democrática, a comunidade acadêmica da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UFRPE/Uast) escolheu Vanete Almeida como a patronesse da Biblioteca Setorial. Dona Vanete, como era conhecida recebeu, 45% dos votos válidos dados por estudantes, professores e técnicos administrativos. O resultado ainda está em curso e seguirá para aprovação das Direções e Conselho Universitário.

Vanete Almeida se intitulava mulher negra e sertaneja. Natural de Custódia, morou por muitos anos na Vila Jatiúca, distrito de Santa Cruz da Baixa Verde. Seu trabalho com mulheres rurais teve início na década de 1980, quando saía de casa de madrugada e percorria 30 quilômetros de carona em caminhões. O objetivo sempre foi de empoderar as mulheres rurais de seus direitos, quebrando séculos de repressão. A militante faleceu em setembro de 2012, deixando uma história de vida dedicada às causas sociais.
Entre as homenagens que recebeu, Vanete recebeu o prêmio Claúdia, em 2002. Em 2005 esteve na lista das mil Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo, produzida pela OGN Suiça, Peace Womem Across The Glober, que indicou todas as listadas ao Premio Nobel da Paz daquele ano. Já em 2009 ganhou o prêmio TRIP Transformadores. Em Serra Talhada, o governo municipal nomeou um bairro em sua memória, enquanto o governo do estado nomeou de Maria Vanete Almeida o Corpo de Bombeiros da cidade, através do projeto de lei do deputado Augusto César.
Por: MANU SILVA
Fonte: 
Farol de Notícias com informações do site da Uast

SEU OLIVEIRO BURREGO É O PIONEIRO NA FOTOGRAFIA EM SERRA TALHADA-PE



oliveira
Fotos: Farol de Notícias/Alejandro Garcia
Desde a sua criação a fotografia serve para eternizar momentos importantes e contar histórias através das imagens. A fotografia congela o passado para se movimentar no presente. Em Serra Talhada, nos anos 60 e 70, um dos fotógrafos mais conhecidos e solicitados para bater os retratos foi o seu Oliveiro Burrego.
Nessa época os retratos eram feitos em preto e branco, não tinha câmera digital. Os retratos eram revelados mergulhados numa bacia, era quase um milagre que o fotógrafo fazia na hora que a imagem aparecia. Hoje em dia, mesmo com a tecnologia para o fotógrafo fazer uma boa fotografia, não basta ter um bom equipamento se não tiver o olhar de quem bate o retrato.
É no olhar do fotógrafo que está toda a candura que esconde a magia. Antes de bater a foto o fotógrafo antecipa a imagem vendo a foto na moldura. Seu Oliveiro Burrego era craque na arte de fotografar. Com a máquina lambe, lambe registrou coisas importantes com o poder da criação. Batendo fotografia teve a arte e a magia de poder parar o tempo na palma de sua mão.
Seu Oliveiro Burrego era o fotógrafo das famílias, retratando a gravidez com as senhoras de barriga. Ele só não batia foto na hora que o bebê nascia, mas depois acompanhava a vida no dia a dia. Foi revelando em papel e revelando em binóculo que Oliveiro Burrego foi fazendo as suas fotos, registrando o passado sem deixar passar inócuo.
Quando tinha uma festa aqui em Serra Talhada, as pessoas iam para praça, os pais levavam os filhos para tirar fotografia, ajeitando seus cabelos se olhando no espelho. Eram meninas e meninos chegando, arrumando as roupas, procurando o coreto. Um grande momento, todo mundo procurava a frente de um monumento. Seu Oliveiro Burrego atendia com carinho e mirava a sua máquina gritando: “Olha o passarinho!”
No clique da sua máquina fez coisa fenomenal, fotografou casamento, batizado, formatura, festa de setembro e as festas de natal. A sua máquina era antiga ele usava um tripé, quando a foto era batida entregava com demora, era assim que Oliveiro Burrego ia contando a história registrada pela máquina que clicava toda hora.
oliveira 2
Oliveira ainda guarda como relíquia um velho ampliador de imagens

Por Adelmo dos Santos, escritor de Serra Talhada
Fonte : Farol de Notícias 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

ASSISÃO CANTA NA FAZENDA SÃO MIGUEL NO DIA 23 DE JUNHO

Serra Talhada valoriza o São João dos Bairros e Distritos com apoio da FUNDARPE/SECULT-PE/GOVERNO DE PERNAMBUCO e leva ASSISÃO - O REI DO FORRÓ -  dia 23 de junho, para Fazenda São Miguel. Ele é filho da localidade e volta a fazer festa na noite de São João, após 46 anos sem tocar nessa data em seu lugar de origem, além do REI DO FORRÓ ainda  cantam na noite os Amantes do Forró e Loro dos Oito Baixos. A fazenda São Miguel comemora meio século de tradição junina com muito forró e comidas típicas, tudo totalmente de graça para os presentes na animada festa.

Já no dia 25 o grupo musical AS SEVERINAS se apresenta no  tradicional  SÃO PEDRO da CAGEP. O bairro recebe esse trio de mulheres que fazem a diferença com original e autêntico forró pé de serra e poesia popular, anima a noite por lá também o Sandrino Ferraz. Vale ressaltar que já houve festa no bairro Villa Bella, vai ter no IPSEP, e em outros bairros e distritos do município - TAUAPIRANGA, LOANDA E VARZINHA -  onde os moradores se unem e com apoio do governo municipal e vereadores realizam seus arraiais. 


sexta-feira, 17 de junho de 2016

CANTANDO NA CONCHA: FESTIVAL DE CALOUROS DE SERRA TALHADA ABRE INSCRIÇÕES



Postado em


DSC_0448
Foto: Farol de Notícias / Alejandro García
O Festival de Calouros Cantando na Concha chega a sua terceira edição com novidades e super prêmios para os cantores de Serra Talhada e região. A inscrições gratuitas começaram na última segunda (13) e irão até o dia 22 de julho. Este ano os participantes podem enviar seus vídeos amadores pelo WhatsApp, junto com a ficha de inscrição preenchida presencialmente. Confira o edital e a ficha de inscrição no link a seguir (acesse aqui).
“O festival de calouros é mais uma realização da MP3 Produções e este ano o calouro deverá entregar a ficha de inscrição na Casa da Cultura que fica localizada na praça Sérgio Magalhães. Junto com a ficha de inscrição, o candidato deve enviar um vídeo gravado de celular, ele ou ela pode gravar um CD e entregar na Casa da Cultura ou enviar o vídeo e uma foto de boa qualidade pelo WhatsApp pelos números (87) 9 9826-5363 / 9 9964-2846. As eliminatórias acontecem de 7 a 28 de agosto, na Concha Acústica, e QUATRO de setembro a grande final”, explicou.
De acordo com Zé Orlando, o primeiro lugar levará troféu e mais R$ 2.000 em dinheiro; o segundo recebe troféu e R$ 1.500; o terceiro lugar troféu e R$ 1.000 e o prêmio revelação terá direito também a um troféu e R$ 500. “Os calouros e calouras deve ter no mínimo 15 anos e a autorização dos pais para os menores de 18 anos. Os 12 finalistas participarão da gravação de um CD”. Mais informações pelo número (87) 9 9826-5363, falar com Zé Orlando.
concha 2
Janaina Lima ganhou a segunda edição do Cantando na Concha, em 2015
Ítala Carvalho foi a vencedora da primeira edição do festival, em 2014

FONTE: FAROL DE NOTICIAS COM INFORMAÇÕES DE NANU SILVA

sexta-feira, 10 de junho de 2016

ESCOLA MUNICIPAL DE ARTES ENCERRA CURSOS DO PRIMEIRO SEMESTRE



A Secretaria de Cultura e Turismo de Serra Talhada, mantem sua linha formação em artes e ofícios e na manhã desta sexta-feira realizou a diplomação das turmas do primeiro semestre da Escola de Artes Antônia Pereira, que a mais de 50 anos forma alunas e alunos nos cursos de Corte e Costura, Pintura em tecidos, Crochê, Apliquê, Costura Reta, entre outros.
Foi um momento de celebração onde o secretário Anildomá, enalteceu o trabalho realizado pelas professoras sobre a coordenação de Mara Machado e revelou que a partir de segunda-feira o Prédio passará por uma pequena reforma e melhoramentos. “Aqui o conhecimento profissional é aplicado de maneira gratuita e é preocupação do prefeito Luciano Duque que esse trabalho continue.” Disse ele.
Já Monica Cabral secretária da Mulher, falou do encantamento em vê os trabalhos realizados e sua alegria com essa politica pública para formação em especial das mulheres que somam cerca de 95% dos inscritos nos cursos. “Esse trabalho é maravilhoso, estou contente em vê tantas peças de arte manuais com acabamento impecável, o companheiro Domá, junto com a coordenadora da Escola estão de parabéns por esse trabalho de formação para as mulheres, que ao saírem daqui, podem com a confecção das peças, gerar renda para sua família”. Relatou.


O evento foi de pura emoção com relato das alunas que através do trabalho realizado pelas professoras recuperam a autoestima ao descobrirem uma atividade lúdica e que ainda podem enfeitar sua casa, além de vender para parentes, amigos e vizinhos; o resultado foi positivo e as peças confeccionadas de muito bom gosto.





quinta-feira, 9 de junho de 2016

AULA ESPETÁCULO FORRÓ DO FUTURO VISITA 6 ESCOLAS DE PERNAMBUCO



Forró do Futuro - Aula Espetáculo  com Assisão e os Cabras de Lampião, circulou pelas cidades de Nazaré da Mata, Aliança, Recife, Olinda, Caruaru e Águas Belas, em cada cidade uma escola foi contemplada com um momento impar de interação entre o Forró, a Dança, a Poesia e Musicalidade desse ritmo que contagia o povão e anima festa e arraias pelo mundo, Canaíba e Serra Talhada serão as próximas paradas do projeto.

O cantor e compositor Assisão dispensa apresentação, com mais de 50 anos de carreira, tendo suas composições gravadas por Elba Ramalho, Fagner, Trio Nordestino, Expresso Pau de Arara, entre tantos outros. Assim como o Grupo de Xaxado Cabras de Lampião, com 21 anos de história na pesquisa e divulgação do Xaxado. A união desses dois grandes filhos de Serra Talhada, ASSISÃO e OS CABRAS DE LAMPIÃO -  vem coroar a importância que tem o Xaxado para a região e para a identidade cultural do nosso país.

Além da dança e da música, que demonstram a força do Cangaço e do povo nordestino, o Xaxado atrai ainda uma riqueza de elementos como as indumentárias, as comidas, os hábitos e, principalmente, as histórias, narradas nas letras das canções, o mestre do forró, ainda bate um papo com alunos e demais colaboradores das unidades de ensino Estadual que recebem a ação educativa e cultural, numa aula diferente sobre a força e a beleza desse ritmo tão nosso.

Para os educadores a importância desse projeto é sem igual e resgata a autenticidade do forró tradicional e legitimo, fugindo do estilizado (que na maioria das vezes trazem musicas que difama a mulher e erotiza as crianças) e mostrando a beleza e animação causada pelo forró no mês de junho.
Projeto patrocinado pelo FUNCULTURA / FUNDARPE / SECRETARIA DE CULTURA / GOVERNO DE PERNAMBUCO.

  





domingo, 5 de junho de 2016

O MASSACRE DE ANGICO - ROTEIRO TURÍSTICO

UM ROTEIRO PRA CABRA MACHO NENHUM BOTAR DEFEITO - “O MASSACRE DE ANGICO – A MORTE DE LAMPIÃO” com cenas de relances quase cinematográficos, reconta a vida do Rei do Cangaço, desde o desentendimento inicial de sua família com o vizinho fazendeiro, Zé Saturnino, ainda em Serra Talhada. Para evitar uma tragédia iminente, e que de fato aconteceu, seu pai, Zé Ferreira, fugiu com os filhos para Alagoas, mas acabou sendo assassinado por vingança. Revoltados e para fazer justiça com as próprias mãos, Virgolino Ferreira da Silva e seus irmãos entregaram-se ao Cangaço, movimento que deixou muito político, coronel e fazendeiro apavorado nas décadas de 1920 e 1930 no Nordeste. Temidos por uns e idolatrados por outros, os cangaceiros serviram como denunciantes das péssimas condições sociais daquela época, tanto que a honra e bravura de Lampião foram decantadas pelos poetas populares, ao mesmo tempo em que o Governo o via como uma doença que precisava ser eliminada.


Foi com a decisão do então presidente da República, Getúlio Vargas, que as tropas militares conseguiram preparar, após diversas tentativas, uma emboscada em local propício, de única entrada e saída, em Angico. Mas até sua morte, outros fatos importantes da trajetória desde homem que marcou a história do Brasil, afamado como herói e bandido, são revelados, como seu encontro com Padre Cícero para receber a patente de capitão do Exército Patriótico; as demonstrações de liderança e guerrilha nas visitas aos sete estados do Nordeste; seu amor à esposa, Maria Bonita, com frases poéticas ditas à luz do luar; a festa da cabroeira dançando xaxado e coco; e até a traição de Pedro de Cândida, coiteiro que foi torturado pelos militares e acabou entregando o local de repouso dos cangaceiros em terras sergipanas (Lampião foi assassinado aos 41 anos. Maria Bonita estava com 27).

Ambientada em cima de uma ribanceira de terra batida (mas sem ser necessária a itinerância do público e com visão privilegiada para todos), durante 1h30 a encenação acontece, contando com uma arrojada trilha sonora (que, além da vozes gravadas dos intérpretes, inclui obras de Chico Science a clássico francês, além de músicas do cancioneiro popular, como Mulher Rendeira; e a canção Se Eu Soubesse, na voz da atriz e cantora Roberta Aureliano, intérprete da Maria Bonita), iluminação detalhista e muitos efeitos especiais, estes últimos, assim como os cenários, assinados pelo mago da cenografia pernambucana Octávio Catanho (Tibi), parceiro de José Pimentel em todos os seus outros trabalhos. No total, o projeto está orçado em R$ 600 mil e deve atrair ainda mais turistas àquela região, berço do grande homem do Cangaço.
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

É  o maior museu no gênero do Brasil,    tem no seu acervo:
ü Móveis e utensílios da época do cangaço;
ü Processos jurídicos contra Lampião e outros cangaceiros;
ü Bilhetes escritos pelo próprio punho de Lampião;
ü Armas pertencentes a cangaceiros;

ü Acervo de matérias de jornais da época do cangaço noticiando as ações de Lampião;
ü Coleção de  matérias jornalísticas mostrando a repercussão da morte de Lampião;
ü Demonstrativo de ervas medicinais da vegetação da caatinga; A MEDICINA DO CANGAÇO;
ü Vasta biblioteca do cangaço, com mais de mil e quinhentos livros;
ü Teses de mestrados e monografias focando o cangaço e Lampião feita por estudiosos de todo Brasil e do exterior;
ü Mais de quinhentos títulos de versos de cordéis; A CORDELTECA;
ü Laudos médicos e raios-X das cabeças dos cangaceiros quando decepadas pela polícia;
ü Acervo de aproximadamente 800 fotografias do cangaço;
ü FILMOTECA CANGACEIRA: Documentários em DVDs (sobre Lampião, Zumbi dos Palmares, Antonio Conselheiros e Padre Cícero);
ü SALA MULTIMIDIA (Cine Clube Lampião): Com capacidade para setenta pessoas, com data show e equipamento de som, onde acontece as  exibições de filmes e documentários;
ü PALCO EXTERNO- ESPAÇO CULTURA VIVA: para ensaios e apresentações teatrais e danças, recitais e cantorias de violeiros repentistas;
ü Uma sala de estudo; e
ü Uma loja de artesanatos.

SITIO PASSAGEM DAS PEDRAS – Onde nasceu LAMPIÃO - A primeira parada é no início da estrada Zé Saturnino, onde o visitante é situado na história da localidade. Depois, em pau-de-arara – transporte rudimentar – segue-se estrada afora, parando nas PEDRAS onde aconteceu o primeiro confronto armado entre os irmãos Ferreiras (família de Lampião) e Zé Saturnino (primeiro inimigo).
Sem sair da trilha chega-se as ruínas da antiga casa-grande da fazenda Pedreira, pertencente a Zé Saturnino. Onde foi palco de um dos mais emocionantes capítulos da história do cangaço.
Um pouco mais adiante se pisa no Sítio Passagem das Pedras – onde está à casa de Dona Jacosa, avó materna de Virgolino, onde ele nasceu. É como se a família ainda estivesse lá, com sua avó, a Mulher Rendeira, cantando loas... Consta de um maravilhoso acervo em fotografias, utensílio e móveis, objetos e documentos que têm referência com os guerrilheiros do sertão e remete o visitante a um mergulho no mundo mágico do cangaço, por onde começou a saga do mito Virgolino Ferreira da Silva. É o ponto de partida da vida daquele que por duas décadas percorreu a maior parte do nordeste brasileiro fazendo justiça com as próprias mãos, pondo em xeque o poderio dos coronéis.

O Sítio Passagem das Pedras – onde nasceu Lampião – fica situado a 35 km. do centro de Serra Talhada, pela Rodovia Estadual Virgolino Ferreira da Silva (PE 390), na direção da cidade de Floresta.