Vídeos

Loading...

terça-feira, 16 de agosto de 2016

CULTURA NOS JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS



Os olhos do mundo já estão voltados para o Brasil. Para além da emoção das competições esportivas, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos são uma oportunidade única para artistas brasileiros exibirem a diversidade cultural do País. Dos bonecos de mamulengo à bossa nova, a variedade de sotaques, ritmos e manifestações está representada na ampla e diversa programação do Ministério da Cultura (MinC).
 
Ao todo, o MinC promoverá 561 eventos, como shows e exposições, em diferentes locais, envolvendo mais de 2,1 mil artistas na programação. As atividades se integram à programação idealizada pela Rio 2016, pela Prefeitura do Rio e pelo Governo do Estado. Como a maior parte dos eventos está programada para o período da Olimpíada, o MinC vai participar de forma mais robusta com o período Paralímpico, cuja programação era mais rarefeita.
 
Os editais da Funarte vão contribuir com a programação da Fundição Progresso, que recebe, durante a Paralimpíada, shows do festival Interações, e mostras de arte. As cidades de Duque de Caxias e Niterói foram incluídas na celebração do espírito olímpico e recebem, em agosto e setembro, festivais de música, de dança contemporânea, além de mostras de expressões culturais populares e tradicionais.
 
Os principais museus federais do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) convidam os visitantes para conhecer programação especialmente desenvolvida para o período dos jogos, como o Museu da República, o Museu Histórico Nacional, o Museu Nacional de Belas Artes, o Sítio Burle Marx e os Museus Castro Maya, que estão integrados ao Passaporte Cultural Rio. O Passaporte dá descontos e gratuidades em peças de teatro, shows e em serviços. A ação é resultado de uma parceria entre o Ibram e a Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. 
 
Como parte das iniciativas do MinC para as Olimpíadas, o Ibram, a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promovem uma série de exposições que reverenciam a memória e a cultura brasileiras. Da Missão Artística Francesa, que formalizou o ensino das artes no país, ao patrimônio imaterial brasileiro, há uma ampla variedade de temas em cartaz. Crianças e adultos vão se encantar com "Frida e Eu", mostra idealizada pelo Centro George Pompidou e pelo Ministério da Cultura do Estado de Guerrero, no México, em cartaz no Museu Histórico Nacional.
 
A história dos Jogos Olímpicos poderá ser vista na mostra "Os Jogos da Antiguidade - Grécia e Roma", recém-inaugurada no Museu Nacional de Belas Artes, com cerca de 60 obras, algumas com mais de 2.500 anos de idade. O MNBA também exibirá uma das grandes obras-primas do francês Léon Pallière, Alegoria às Artes, que sobreviveu à demolição do prédio da Academia Imperial de Belas Artes, em 1938. A tela representa as musas da arquitetura, da pintura, da poesia, da música e da escultura e foi um dos poucos trabalhos que sobreviveu à demolição do seu prédio. 
 
Na área do cinema, Fundição e Cine Odeon e outros espaços recebem o Circuito Audiovisual que celebra a produção cinematográfica nacional, das Chanchadas da Atlântida ao Cinema Novo.
 

Nenhum comentário: