Vídeos

Loading...

domingo, 30 de outubro de 2016

GIL SILVA: O FREVO NO HOMEM, O HOMEM NO FREVO, SURGE GIL DO PASSO POESIA EM MOVIMENTO

 
Tendo Nascido em 18 de fevereiro de 1973 no Bairro de Sitio Novo, Olinda-PE; “na época carnavalesca, vários grupos se apresentam perto da minha casa como caboclinhos, maracatus... cavalos-marinho”. Relata ele. Que já na minha infância participava de manifestações culturais como escola de samba, la ursa, troças... “como toda criança/adolescente apenas observava, de algumas das manifestações eu tinha medo, como o “Morto Carregando o Vivo” que passavam nas ruas, pedindo dinheiro nas casas e quando parava na frente da minha casa eu me escondia, tinha medo da brincadeira do carnaval”. Confessa esse hoje apaixonado pela cultura popular.
Um dia ele convidado junto com outras crianças para participarem de uma brincadeira de la ursa, organizada por uma pessoa ilustre na sua vizinhança a Dona Dá, que anos depois se mudou para a cidade alta e é homenageada no carnaval de Olinda. “Gostei tanto da brincadeira que queria ser a la ursa, mas nunca me deixavam... ficava apenas na batucada, arrecadávamos dinheiro e fazíamos a festa com bolo e guaraná... No entanto a inquietação permanecia, não sabia o porquê, mas passei a observar o carnaval com outros olhos, as músicas, as brincadeiras, os foliões tudo isto já não me causava medo, eu queria está no meio”. Segue relatando ele com brilho no olhar.
“Um certo dia, na semana pré-carnavalesca, assistindo um programa de TV que passava na emissora local, vi o Mestre Nascimento do Passo com seus alunos se apresentando, neste momento pude observar uma beleza, até então para mim não revelada - o casamento da música e do passo, numa sincronia perfeita - Passei a tentar imitar os movimentos, a partir da primeira visualização que tive, fiz timidamente, desajeitado, sem nenhuma preocupação com aquela sincronia vista”; conclui.
A partir daí ele procurou o Mestre para ter aulas de Frevo, e neste encontro se fez homem/dança e a partir daí passou a vivenciar os passos e teve inicio em maio de 1996 na Escola Municipal de Frevo do Recife sua espetacular carreira de dançarino, desse ritmo tão pernambucano quanto ele; “assim, fui despertado a participar de aulas de outros ritmos e vê na prática o que Nascimento sempre me dizia: ‘O frevo está contido em todas as danças e todas as danças contém o frevo’. Fiz oficinas de cabloclinho, cavalo-marinho, maracatu; tive aulas no Balé Popular do Recife; aprendi dança de salão, mais minha paixão mesmo é o Frevo”. Afirma categórico.
Desde 1998 ele ministra oficinas de Frevo, atividade que começou com o projeto chamado “Férias nas Escolas” no Recife, neste mesmo ano, o mestre Nascimento do Passo confia ao apaixonado dançarino GIL suas aulas na Escola Municipal de Frevo do Recife; “ele sempre dizia que 2 anos é um tempo bom, dependendo da dedicação de cada um, para começar a ser formador de multiplicadores do passo”. Relembra.
Nestes 20 anos dedicados a dança do Frevo e outros ritmos, Gil do Passo como passou a ser chamado, fez participações em eventos, documentários, espetáculos, festivais e afins. No ano 2000 participou com o Mestre Nascimento do Passo e um grupo de 30 alunos da comissão de frente da Escola de Samba império Serrano, participou também do documentário ‘Danças Brasileiras’ do multi-artista Antônio Carlos Nóbrega, apresentou o espetáculo solo “O diário de um passista” em 2011 no ‘1º Festival Brincantes’ realizado no Instituto Brincante, instituição que é comandada por Nóbrega em São Paulo-SP, participou de atividades com a professora de Dança da UFPB Valéria Vicente e o Fisioterapeuta Kiran, como “Trançados Musculares” e o livro “Frevo: para aprender e Ensinar”. Durante 10 anos fez parte do projeto “Frevo na Praça” conduzido pelo grupo Guerreiros do Passo no Recife, onde também participou do Espetáculo “O Frevo” junto com o grupo de dança. Participou de vários concursos de passo, sendo vice-campeão em Recife 2004, campeão em Olinda em 2008 e 2009, e 2010 campeão no Recife.
Em abril de 2015 chega à Serra Talhada, e em julho do mesmo inicia um projeto que chamou de “Sertão Frevo”, que tem como objetivo dar aula de Frevo nas praças de forma gratuita e para todas as pessoas que desejem praticar e aprender essa dança. As aulas se iniciaram na pracinha Lampião, passou um tempo também na praça da concha, mas atualmente fixou-se apenas na pracinha Lampião. “Manter um trabalho deste tipo, necessita de ingredientes diversos, dos quais não pode faltar amor ao Frevo crença na cultura popular pernambucana como elemento transformador de uma sociedade; isso nos leva a realizar um trabalho sério e de salvaguarda do Frevo. Acredito que o Frevo deve ser ouvido e dançado o ano todo, parafraseando Hugo Martins – ‘Frevo é música popular brasileira e como tal deve ser ouvida o ano inteiro’. Relata com sorriso de quem tem certeza absoluta do que diz e faz.
Ele vem superando um pensamento simplista de que o Frevo é uma música apenas de ciclos, neste caso o ciclo carnavalesco e deve ser ouvida apenas naquele período. “Em um ano de projeto: fizemos algumas apresentações, como na prévia do Bloco ‘tô na concha’, inauguração do CÉU das Artes no bairro Caxixola, readequação da biblioteca pública e fomos em duas escolas municipais, uma na Caxixola e outra no distrito de Tauapiranga, levamos o nosso espetáculo chamado: ‘Uma homenagem ao Frevo’. Finaliza.
Além das aulas na pracinha Lampião, Gil do Passo é Oficineiro do Movimento Cultura Viva da Secretaria de Cultura e Turismo da Capital do Xaxado, com aulas no CEU das Artes – Caxixola na segunda, quarta e sexta às 18h e participou recentemente do Espetáculo ‘O massacre de Angico - A morte de Lampião’, promovido pela Fundação Cultural Cabras de Lampião.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

PROJETO DE FORMAÇÃO DE GASTRONOMIA


PROJETO DE FORMAÇÃO DE GASTRONOMIA – A Secretaria de Cultura e Turismo, em parceria com a Fundação Cultural Cabras de Lampião, trás à Serra Talhada mais uma ação em formação. Trata-se do Projeto SABOR E MEMÓRIA DOS ENGENHOS DE AÇÚCAR, com o incentivo do Funcultura/SECULT/Governo de Pernambuco. Trata-se uma atividade de formação e capacitação de gastronomia com enfoque para a valorização da produção gastronômica tradicional, priorizando a matéria-prima local e tradicional dos engenhos de açúcar, trabalhando receitas utilizando a matéria prima: banana e macaxeira.
Serão 60 (sessenta) horas de atividades. Cada oficina contará com 20 (vinte) participantes. Os participantes são de ambos os sexos, com idade acima de 16 anos e nível escolar diverso. As oficinas terão aulas teóricas e práticas, trabalhando com receitas de sobremesas e pratos diversos. Haverá certificação para os participantes com frequência igual ou superior a 75% de participação.
SERVIÇO:
Período: de 07 a 11 de novembro de 2016.
Hora: das 13 às 17 horas.
Local da Oficina: Cozinha Comunitária, no Bairro Bom Jesus.
Inscrições: Museu do Cangaço e CEU DAS ARTES.
GRATUITO.

SECRETARIA DE CULTURA E TURISMO FAZ PARCERIA COM A CIA. 2 EM CENA DE TEATRO, CIRCO E DANÇA E TRAZ O PROJETO: E O PALHAÇO O QUE É? CURSO 2 EM CENA DE INICIAÇÃO À PALHAÇARIA PARA CAPITAL DO XAXADO.


Em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo, da Prefeitura Municipal de Serra Talhada, a  CIA 2 EM CENA trás a Serra Talhada um curso de palhaçaria destinado aos jovens que queiram enveredar pelos caminhos das artes cênicas, conforme orientação da SECULT/ST em formar profissionais da arte de encenar, estimular a formação de platéia e, principalmente, aquecer a cena artística da Capital do Xaxado.
Fundada em 2007, pelos artistas e produtores culturais Arnaldo Rodrigues e Alexsandro Silva, a CIA. 2 EM CENA vem a cada dia se consolidando como um importante núcleo de pesquisa e produção cultural nos segmentos de teatro, circo e dança. No âmbito do circo a companhia desenvolve desde 2007 a pesquisa “Laboratório de Palhaçaria”, e a partir dela criou uma série de ações culturais que vão desde os espetáculos de repertório da trupe as ações de formação e difusão do circo tradicional brasileiro.
A companhia tem como missão promover o acesso à arte e a cultura através da criação de produtos culturais, desenvolvidos com qualidade e ética, que possam ser apresentados em espaços variados, buscando valorizar as culturas e tradições brasileiras, e a partir delas desenvolver uma estética própria de trabalho.
As ações de formação e capacitação de artistas e técnicos compõem um eixo importante dentro da estrutura de gestão da companhia viabilizando projetos como: Parcerias com entidades culturais para formação em Palhaçaria, a realização do CURSO INICIAÇÃO À PALHAÇARIA e o PROJETO CENA JOVEM – Curso de gestores de grupos teatrais. Em 2016, através do incentivo do FUNCULTURA 2014/2015, o Projeto “E O PALHAÇO O QUE É? Curso 2 em Cena de Iniciação à Palhaçaria” será realizado no Sertão do Pajeú no município de Serra Talhada, descentralizando assim as ações de formação e capacitação em artes circenses do eixo capital-região metropolitana.
Com uma carga horária de 120 horas/aulas o referido curso terá a duração de dois meses e traz na grade curricular as seguintes disciplinas:
1-    História da Palhaçaria,
2     – Voz, som e comicidade,
3     – Corpo e comicidade,
4      – Palhaçaria I – O Palhaço e o jogo infantil,
5      – Palhaçaria II – A máscara e a técnica do Palhaço,
6      – Indumentária e maquiagem para o Palhaço,
7      – Montagem de números.
 “Mesmo contando com o incentivo do FUNCULTURA, a Secretária de Cultura e Turismo do município de Serra Talhada viabiliza toda a parte de estrutura para  a realização do projeto, pois nossos artistas são sedentos de conhecimentos”, afirma o Anildomá de Souza.
  . As aulas se darão nos sábados das 14 às 17 e das 18 às 21 h e nos domingos das 09 às 12 e das a 14 às 17 h no Museu do Cangaço.
 As inscrições podem ser realizadas através do e-mail:cia2emcena@gmail.com no período de 14 à 27 de outubro de 2016. Maiores informações através dos seguintes contatos:
 Fones: (81) 9 9665-7271 (Alexsandro Silva) ou (81) 9 8402-6356  (Arnaldo Rodrigues).
Fanpage: Cia. 2 em Cena de Teatro, Circo e Dança.


GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO PARTICIPA DE MOSTRA DE ARTES CÊNICAS EM BODOCÓ

Comemorando os 70 anos do SESC em Pernambuco o SESC Ler da cidade de Bodocó-PE realiza mostra de Teatro, Dança e Musica com participação de diversos grupos de cultura popular.




sexta-feira, 14 de outubro de 2016

LANÇAMENTO DE EXPEDIÇÃO PERNAMBUCO - O LEÃO DO NORTE EM RECIFE‏


Pra quem não teve condições de ir pro lançamento da Expedição Pernambuco no Festival de Inverno de Garanhuns, desta vez é a hora de Recife, na noite de 17 de outubro (próxima segunda).
O livro, de co-autoria com o holandês Bart van Dorp, é o primeiro registro fotográfico completo das unidades de conservação de Pernambuco e o primeiro volume finalizado da Coleção EcoExpedições, que conta também com o Chico Rasta Brandão como fotógrafo em outros volumes.

Junto com o lançamento do livro, estaremos inaugurando a exposição da Coleção, com imagem dos três fotógrafos.

Lançamento de livro+exposição acontece na Galeria Baobá, na sede da FUNDAJ (ao lado do Museu do Homem do Nordeste), Avenida 17 de agosto, Casa Forte. 

Nossa noite de autógrafos vai até as 21h. Apareçam!

O lançamento integra a II Semana das Unidades de Conservação, evento realizado pela CPRH e pelo Governo de Pernambuco.

Nossos agradecimentos ao Governo Federal, Ministério da Cultura, ICMBio, Governo de Pernambuco, Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, CPRH, Fundação Joaquim Nabuco, Jodibe Distribuidora, Armazéns Tupan, Polícia Militar de Pernambuco, Cipoma, Trombeta Comunicação, Apart Hotel Marinas e todos aqueles que ajudaram na realização deste projeto que foi verdadeiramente inesquecível pra todos nós.




terça-feira, 11 de outubro de 2016

PROJETO DE INICIAÇÃO À PALHAÇARIA, E O PALHAÇO O QUE É?


Em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo, da Prefeitura Municipal de Serra Talhada, a  CIA 2 EM CENA trás a Serra Talhada um curso de palhaçaria destinado aos jovens que queiram enveredar pelos caminhos das artes cênicas, conforme orientação da SECULT/ST em formar profissionais da arte de encenar, estimular a formação de platéia e, principalmente, aquecer a cena artística da Capital do Xaxado.
Fundada em 2007, pelos artistas e produtores culturais Arnaldo Rodrigues e Alexsandro Silva, a CIA. 2 EM CENA vem a cada dia se consolidando como um importante núcleo de pesquisa e produção cultural nos segmentos de teatro, circo e dança. No âmbito do circo a companhia desenvolve desde 2007 a pesquisa “Laboratório de Palhaçaria”, e a partir dela criou uma série de ações culturais que vão desde os espetáculos de repertório da trupe as ações de formação e difusão do circo tradicional brasileiro.
A companhia tem como missão promover o acesso à arte e a cultura através da criação de produtos culturais, desenvolvidos com qualidade e ética, que possam ser apresentados em espaços variados, buscando valorizar as culturas e tradições brasileiras, e a partir delas desenvolver uma estética própria de trabalho.
As ações de formação e capacitação de artistas e técnicos compõem um eixo importante dentro da estrutura de gestão da companhia viabilizando projetos como: Parcerias com entidades culturais para formação em Palhaçaria, a realização do CURSO INICIAÇÃO À PALHAÇARIA e o PROJETO CENA JOVEM – Curso de gestores de grupos teatrais. Em 2016, através do incentivo do FUNCULTURA 2014/2015, o Projeto “E O PALHAÇO O QUE É? Curso 2 em Cena de Iniciação à Palhaçaria” será realizado no Sertão do Pajeú no município de Serra Talhada, descentralizando assim as ações de formação e capacitação em artes circenses do eixo capital-região metropolitana.
Com uma carga horária de 120 horas/aulas o referido curso terá a duração de dois meses e traz na grade curricular as seguintes disciplinas:
1-    História da Palhaçaria,
2     – Voz, som e comicidade,
3     – Corpo e comicidade,
4      – Palhaçaria I – O Palhaço e o jogo infantil,
5      – Palhaçaria II – A máscara e a técnica do Palhaço,
6      – Indumentária e maquiagem para o Palhaço,
7      – Montagem de números.
           “Mesmo contando com o incentivo do FUNCULTURA, a Secretária de Cultura e Turismo do munícipio de Serra Talhada viabiliza toda a parte de estrutura para  a realização do projeto, pois nossos artistas são sedentos de conhecimentos”, afirma o Anildomá de Souza.
 . As aulas se darão nos sábados das 14 às 17 e das 18 às 21 h e nos domingos das 09 às 12 e das a 14 às 17 h no Museu do Cangaço.
As inscrições podem ser realizadas através do e-mail cia2emcena@gmail.com no período de 14 à 27 de outubro de 2016. Maiores informações através dos seguintes contatos:

Fones: (81) 9 9665-7271 (Alexsandro Silva) ou (81) 9 8402-6356  (Arnaldo Rodrigues).
Fanpage: Cia. 2 em Cena de Teatro, Circo e Dança.




quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ROBERTA AURELIANO UMA ARTISTA MÚLTIPLA E REPLETA DE HUMANIDADE


 
Atriz, diretora teatral, cantora, compositora e instrumentista alagoana, Roberta Aureliano, nasceu em Maceió-AL e aos 2 anos veio morar em Serra Talhada, por conta do trabalho do pai, o saudoso Ronaldo Aureliano. Ficou na capital do Xaxado por 6 anos onde fez muitas amizades que perduram até hoje. 
Atriz desde os 8 anos de idade, Roberta iniciou sua carreira junto a seu pai, que era poeta, dramaturgo, artista plástico, escultor, professor, além de ator; o saudoso Ronaldo Aureliano, vivenciando a cultura popular em seu cotidiano, também têm contatos  e trocas de experiências com outros grandes nomes da arte em Alagoas e Pernambuco: No folclore - Mestre Sebastião do Guerreiro, Mestre Bia, Mestre Expedito, Mestra Quitéria, Mestre Nelson Rosa; No teatro -  David Farias, Lael Correa, Glauber Teixeira, José Pimentel; Na história do cangaço - Anildomá Willans e Cleonice Maria; na música - Basílio Sé, Benedito Pontes, Jaques Setton, Máclein... Essas vivências e o contato direto com cada segmento inspiram e influenciam Roberta Aureliano no desenvolvimento de trabalhos voltados ao conhecimento e valorização da cultura popular.

Atriz consagrada e premiada já fez e faz diversos espetáculos, destacam-se: O Médico e o Coronel, A República dos Desvalidos, O Espantalho, Precisa-se de Garçonete, Guerreiro da Viçosa – Casos e Causos (atuando e posteriormente dirigindo no projeto NOVAS DIREÇÕES da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas), Sã Consciência Insana, Murro em Ponta de Faca, A Criação do Mundo, Presepada, Gota D’água, Dorotéia e O Massacre em Angico – A Morte de Lampião (PE), o qual está em cartaz desde 2012 sempre na ultima semana de julho de cada ano, onde representa a famosa Maria Bonita.
Não deixando seu ofício de Atriz, há oito anos a artista dedica-se a música e a sua trajetória como intérprete, teve início quando convidada a integrar o CD ‘Viçosa do Nosso Brasí’, projeto realizado com o intuito de valorizar e reconhecer os cantores e compositores, naturais de Viçosa-AL.
Desde então, Roberta Aureliano participa de Festivais de Música, como FEMUSESC (AL) e Festival de Músicas do Cangaço (PE), além de levar seu trabalho à algumas cidades do interior do Estado, entre elas: Arapiraca, Chã Preta, Ibateguara (IBARTES), Mar Vermelho, Messias, Joaquim Gomes, Igreja Nova, Penedo (Festa de Bom Jesus dos Navegantes) Viçosa e para Serra Talhada e Limoeiro no interior de Pernambuco. Em Maceió participou de eventos como: Projeto Viva Cultura, Semana ESMAL da Consciência Negra, Semana da Mulher e da Cidadania (Abrindo o Show da cantora Mart’nália), 12º Lual do Maravilha, Cortejo Cultural Senhora dos Prazeres – 198 Anos de Maceió,  Ato Show da Liberdade, Homenagem aos 97 anos de Teotônio Vilela – Viva Teotônio, São João de Maceió 2014, fez participação especial no DVD de Basílio Sé e é intérprete do DVD Pé no Chão de Benedito Pontes.
Em 2015 Roberta teve a honra de participar de dois grandes eventos realizados na capital alagoana, o primeiro em janeiro, onde destacou-se na programação da Segunda Edição do Maceió 200 Anos de Verão abrindo o show de Zeca Baleiro. O segundo foi o convite para abrir as Festividades Juninas cantando e homenageando a Rainha do Forró Clemilda.
Dando continuidade à sua carreira de intérprete, ainda divide o seu tempo assumindo o papel da voz principal em outros dois projetos: BANDA FULÔ DE MARACUJÁ e BANDA CAZUADINHA. Com a Fulô de Maracujá a artista mostra o seu lado popular, pois o repertório é o autêntico Forró. Já com a Banda Cazuadinha ela abusa da sua experiência cênica, pois se trata de um projeto voltado para o público infantil onde não só Roberta, mas todos os componentes se caracterizam de personagens que agradam o gosto da criançada e cantam músicas infantis.
Uma das marcas da artista, além da voz marcante, é seu repertório musical, formado a partir de músicas nordestinas. Em sua interpretação coco, embolada, maracatu, baião, forró e galope ganham releituras modernas e contagiantes. Roberta canta a terra, o chão, sobe no vento como as folhas que anunciam uma nova estação.
Essa múltipla artista é figura conhecida no cenário do forró em Alagoas e grande parte do Nordeste, por onde passa coloca todos e todas pra dançar, junto com sua banda Fulô de Maracujá. “Nosso repertório é 'recheadíssimo' de forró, o autêntico forró pé de serra. Têm outros estilos misturados, para agradar a todos os ouvidos. A gente tá com um xote reggae. Grandes artistas já fizeram isso. O reggae e o xote caminham juntos, e essa mistura tá caindo na boca do povo”, conclui.





DOROTEA NOGUEIRA SE VESTE DE CANGACEIRA ROSA - AMIGA DO PEITO PARA DIVULGAR CAMPANHA DE PREVENÇÃO AO CÂNCER DE MAMA


 
O movimento chamado 'OUTUBRO ROSA' campanha mundial em defesa do auto-exame e das pessoas portadoras de câncer, que tem cura basta ser diagnosticado a tempo. A nossa querida Serra-talhadense Dorotéia Nogueira a 8 anos é engajada na campanha contra o câncer de mama de várias formas e com vários afazeres para chamar atenção das mulheres sobre a prevenção da doença da foi curada. 
"Ano passado mostrei a importância da campanha através de outdoor e distribuição de quites higiênicos para pacientes em tratamento (ação que realizo constantemente). Em 2016 com apoio da Inove Sistemas, Gráfica Ponto Final e JODIBE, estou dando continuidade a meu trabalho na campanha de prevenção e alerta sobre essa doença; através de folde'r que conta a minha experiencia vivida após o diagnostico e cura do câncer de mama em 2007. O texto traz um alerta sobre os cuidados e principalmente uma mensagem positiva de que é possível vencer a temível doença. Tenho distribuído e deixado para serem pegos e lidos em pontos estratégicos da cidade".
A militante do 'Outubro Rosa' na Capital do Xaxado concede entrevistas em rádios e TV e está a disposição para palestras em postos de saúde, empresas, escolas e faculdades sobre essa temática, além de participação em eventos como o Orgulho Pink do shopping Recife, tarde sobre a prevenção do câncer na Academia das Cidades do IPSEP, entre outros.
Se engaje conosco nessa campanha, pois "eu venci o câncer e você também pode".   ela  criou a Cangaceira vestida de Rosa e amiga do peito para entra na luta contra essa doença e alertar as mulheres sobre o auto-exame e também com a força da mulher sertaneja demostrar a cultura a serviço da saúde.
CONTATO: 87.99627.7821




















segunda-feira, 3 de outubro de 2016

MUSEU DO CANGAÇO VIVENCIOU A 10ª EDIÇÃO DA PRIMAVERA NOS MUSEUS


A 10ª Primavera dos Museus contou com a participação de 753 instituições, que realizaram 2080 eventos em todo o país. A temporada de eventos coordenada pelo Ibram aconteceu entre os dias 19 e 25 de setembro com o tema Museus, Memórias e Economia da Cultura.
O tema escolhido para este ano destacou o importante papel social desempenhado pelos museus na promoção de trocas simbólicas, culturais, de saberes e de experiências, assim como sua contribuição para a dinamização da cadeia produtiva da cultura de modo sustentável.
O Museu do cangaço em Serra Talhada vivenciou atividades artísticas nesses dias com a participação de escola vivenciando o 'Minha Minha Escola no Museu', que consta de visitas monitoradas ao seu acervo, exibição de documentários em sua sala multimídia e apresentações culturais no espaço denominado 'Quintal do Museu'.