Vídeos

Loading...

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ROBERTA AURELIANO UMA ARTISTA MÚLTIPLA E REPLETA DE HUMANIDADE


 
Atriz, diretora teatral, cantora, compositora e instrumentista alagoana, Roberta Aureliano, nasceu em Maceió-AL e aos 2 anos veio morar em Serra Talhada, por conta do trabalho do pai, o saudoso Ronaldo Aureliano. Ficou na capital do Xaxado por 6 anos onde fez muitas amizades que perduram até hoje. 
Atriz desde os 8 anos de idade, Roberta iniciou sua carreira junto a seu pai, que era poeta, dramaturgo, artista plástico, escultor, professor, além de ator; o saudoso Ronaldo Aureliano, vivenciando a cultura popular em seu cotidiano, também têm contatos  e trocas de experiências com outros grandes nomes da arte em Alagoas e Pernambuco: No folclore - Mestre Sebastião do Guerreiro, Mestre Bia, Mestre Expedito, Mestra Quitéria, Mestre Nelson Rosa; No teatro -  David Farias, Lael Correa, Glauber Teixeira, José Pimentel; Na história do cangaço - Anildomá Willans e Cleonice Maria; na música - Basílio Sé, Benedito Pontes, Jaques Setton, Máclein... Essas vivências e o contato direto com cada segmento inspiram e influenciam Roberta Aureliano no desenvolvimento de trabalhos voltados ao conhecimento e valorização da cultura popular.

Atriz consagrada e premiada já fez e faz diversos espetáculos, destacam-se: O Médico e o Coronel, A República dos Desvalidos, O Espantalho, Precisa-se de Garçonete, Guerreiro da Viçosa – Casos e Causos (atuando e posteriormente dirigindo no projeto NOVAS DIREÇÕES da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas), Sã Consciência Insana, Murro em Ponta de Faca, A Criação do Mundo, Presepada, Gota D’água, Dorotéia e O Massacre em Angico – A Morte de Lampião (PE), o qual está em cartaz desde 2012 sempre na ultima semana de julho de cada ano, onde representa a famosa Maria Bonita.
Não deixando seu ofício de Atriz, há oito anos a artista dedica-se a música e a sua trajetória como intérprete, teve início quando convidada a integrar o CD ‘Viçosa do Nosso Brasí’, projeto realizado com o intuito de valorizar e reconhecer os cantores e compositores, naturais de Viçosa-AL.
Desde então, Roberta Aureliano participa de Festivais de Música, como FEMUSESC (AL) e Festival de Músicas do Cangaço (PE), além de levar seu trabalho à algumas cidades do interior do Estado, entre elas: Arapiraca, Chã Preta, Ibateguara (IBARTES), Mar Vermelho, Messias, Joaquim Gomes, Igreja Nova, Penedo (Festa de Bom Jesus dos Navegantes) Viçosa e para Serra Talhada e Limoeiro no interior de Pernambuco. Em Maceió participou de eventos como: Projeto Viva Cultura, Semana ESMAL da Consciência Negra, Semana da Mulher e da Cidadania (Abrindo o Show da cantora Mart’nália), 12º Lual do Maravilha, Cortejo Cultural Senhora dos Prazeres – 198 Anos de Maceió,  Ato Show da Liberdade, Homenagem aos 97 anos de Teotônio Vilela – Viva Teotônio, São João de Maceió 2014, fez participação especial no DVD de Basílio Sé e é intérprete do DVD Pé no Chão de Benedito Pontes.
Em 2015 Roberta teve a honra de participar de dois grandes eventos realizados na capital alagoana, o primeiro em janeiro, onde destacou-se na programação da Segunda Edição do Maceió 200 Anos de Verão abrindo o show de Zeca Baleiro. O segundo foi o convite para abrir as Festividades Juninas cantando e homenageando a Rainha do Forró Clemilda.
Dando continuidade à sua carreira de intérprete, ainda divide o seu tempo assumindo o papel da voz principal em outros dois projetos: BANDA FULÔ DE MARACUJÁ e BANDA CAZUADINHA. Com a Fulô de Maracujá a artista mostra o seu lado popular, pois o repertório é o autêntico Forró. Já com a Banda Cazuadinha ela abusa da sua experiência cênica, pois se trata de um projeto voltado para o público infantil onde não só Roberta, mas todos os componentes se caracterizam de personagens que agradam o gosto da criançada e cantam músicas infantis.
Uma das marcas da artista, além da voz marcante, é seu repertório musical, formado a partir de músicas nordestinas. Em sua interpretação coco, embolada, maracatu, baião, forró e galope ganham releituras modernas e contagiantes. Roberta canta a terra, o chão, sobe no vento como as folhas que anunciam uma nova estação.
Essa múltipla artista é figura conhecida no cenário do forró em Alagoas e grande parte do Nordeste, por onde passa coloca todos e todas pra dançar, junto com sua banda Fulô de Maracujá. “Nosso repertório é 'recheadíssimo' de forró, o autêntico forró pé de serra. Têm outros estilos misturados, para agradar a todos os ouvidos. A gente tá com um xote reggae. Grandes artistas já fizeram isso. O reggae e o xote caminham juntos, e essa mistura tá caindo na boca do povo”, conclui.





Nenhum comentário: