Vídeos

Loading...

sexta-feira, 31 de março de 2017

SECULT-PE E FUNDARPE PRORROGAM INSCRIÇÕES DO EDITAL FUNCULTURA GERAL E DA MÚSICA 2016/2017

As inscrições poderão ser feitas até a próxima sexta-feira (7)

card funcultura
Devido à expectativa do recebimento de uma quantidade expressiva de projetos neste ano, a Superintendência de Gestão do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura vai estender o prazo de submissão ao edital do Funcultura Geral e da Música 2016/2017 para a próxima sexta-feira (7).
A iniciativa, de acordo com o superintendente do Funcultura, Gustavo Duarte, “visa garantir uma maior comodidade na entrega dos projetos dos proponentes”. “Há um novo edital [o da Música], que apresenta o dobro do valor anteriormente disponibilizado para a linguagem. Esse fato, provavelmente, nos levará a ter mais um recorde de inscrições de projetos, e a prorrogação permitirá um atendimento melhor ao produtor, que decidir submeter seu projeto presencialmente ao Funcultura, além de oportunizar uma revisão com mais calma”, afirma Duarte.
O Funcultura Geral e da Música 2016/2017 disponibilizará mais R$ 22 milhões para execução de projetos de artistas e grupos de todas as expressões culturais e linguagens artísticas. Os valores estão distribuídos assim: R$ 17,5 milhões para o Geral; e R$ 4,55 milhões para a Música.
O edital prevê incentivo a projetos das áreas de dança, circo, teatro, ópera, fotografia, literatura, música e artes plásticas, artes gráficas e congêneres. As áreas de cultura popular e tradicional; artesanato; patrimônio; artes integradas; design e moda, gastronomia; pesquisa cultural; formação e capacitação também são contempladas na iniciativa.
Inscrições
As inscrições de projetos poderão ser feitas presencialmente até sexta-feira (7), no horário das 8h às 12h, na sede da Fundarpe, localizada na Rua da Aurora, nº 463/469, Boa Vista, Recife – CEP. 50050-000, ou com envio pelos Correios, via SEDEX, desde que postado até o dia 7/4. Para se inscrever, é necessário ter residência no Estado há no mínimo um ano e ter cadastro de produtor cultural inscrito/atualizado até o dia 24/2/2017.

Ao longo dos próximos dias, o atendimento do Funcultura receberá os produtores culturais das 8h às 12h.
O edital está disponível no Portal Cultura.PE. Produtores que tiverem dúvidas podem mandar e-mail para funculturaeditais@fundarpe.pe.gov.br. O atendimento presencial na Fundarpe é das 8h às 12h.
Serviço
Inscrições no edital do Funcultura 2016/2017, até sexta-feira (7)
Fonte: cultura.pe

quinta-feira, 23 de março de 2017

SERRA TALHADA RECEBE MAIS UMA EDIÇÃO DO POETIZANDO

A 9ª Edição do SARAU DO POETIZANDO A ROTINA será da mesma forma que as outras edições, uma atividade direta ao público.
Nesta data celebraremos o aniversário de 4 anos de coletivo. Ou seja, um evento comemorativo. E o município escolhido foi
Serra Talhada-PE, por ser berço de inúmeros poetas declamadores e já recebido no Museu do Cangaço uma edição desse evento.
A nossa intenção é estender a cultura de Serra Talhada com esse evento que acontecerá no Calçadão da Concha Acústica (em frente a Igreja do Rosário).
Convidamos a "nata" dos artistas serra-talhadenses e ao retratar a ideia com alguns desses poetas de tão valoroso talento.
Desta vez, por ser um evento comemorativo, a demanda é fazer um movimento mais eclético, envolvendo música (além das declamações) e apresentação de alguns artistas. 
Todos estarão apto a se apresentarem.
A atração musical fica por conta de PC Silva, cantor e compositor pernambucano, a priori serra-talhadense, atuante na "bandavoou", grupo este aclamado pela crítica nacional e vencedora de vários festivais no país. PC apresentará o seu projeto "PC Silva - Convida".
Então poetas, nos vemos no dia 25 de março, a partir das 18h.
“Amigos de Serra Talhada, no próximo sábado (25/03) será realizado o Sarau Poetizando a Rotina na Concha Acústica (em frente a Igreja do Rosário), a partir das 18h. Vamos partilhar de muita arte e música.
PC Silva com o seu novo projeto "PC Silva -  Convida" será o responsável de trazer a musicalidade para todos.
Levem suas inspirações poéticas, literárias e o microfone junto ao espaço será aberto para todos se apresentarem e declamarem”;
convida o Diretor/Presidente da Fundação Cultural de Serra Talhada Anildomá


quarta-feira, 22 de março de 2017

SIMONE SANTOS: DE UMA INFÂNCIA DE PERDAS, NASCE UMA TALENTOSA DANÇARINA E UMA GRANDE E INDEPENDENTE MULHER

 SIMONE ALVES DE SIQUEIRA SANTOS Nasceu no dia 24 de março de 1986, em Manaíra, Paraíba. Teve uma infância muito difícil, “perdi minha mãe, ainda criança com apenas 6 anos, então, tive que começar a trabalhar bem cedo, meu primeiro emprego foi aos 12 anos como auxiliar de escritório”; relembra com leve tristeza no olhar, ainda criança veio pra Serra Talhada e foi criada por uma tia.

A menina que tinha sonhos como qualquer adolescente. Almejava grandes feitos para sua vida, um deles (por assistir ensaios e perceber a beleza e a disciplina dos componentes já que morava pertinho da escola aonde o grupo de Xaxado Cabras de Lampião ensaiava), era dançar Xaxado. “um dia conheci Domá e Cléo em um ensaio do grupo, e naquele momento decidir: quero dançar, quero viver de dança e da cultura, então passei a ter aulas de Xaxado me tornei dançarina representando no início a cangaceira Dadá, esposa do temível Corisco; logo depois me tornei a Maria Bonita do espetáculo, o que é uma grande responsabilidade, representar a rainha do cangaço, a mulher do mais afamado bandoleiro do Brasil; o nosso espetáculo mostra não só a dança mais também um resumo do que foi esse movimento chamado cangaço e como os bandoleiros se divertiam nas caatingas após os combates”. Resume e acrescenta: “No grupo a tive a oportunidade de viajar o mundo, tive o prazer de participar de grandes festivais no Rio Grande do Sul, Venezuela, Teresina, Tocantins, e em muitos outros Estados desse imenso Brasil, além de circular por todas as cidades e distritos de Pernambuco”.
Na Fundação Cultural que é também Ponto de Cultura, ela aprendeu não só o Xaxado, mais vários outros ritmos de danças populares, como: Ciranda, Frevo, Coco de Roda, entre outros, se torna também coreógrafa e Professora desses ritmos, passando a ministrar oficinas e cursos em Escolas, Festivais, no Ponto de Cultura e no Serviço de Convivência, preparando grupos e apresentações com adolescentes atendidos por esses projetos. Conhece bem a história das danças e também do Cangaço e Lampião, atuando como recepcionista/guia no Museu do Cangaço, a artista está sempre se reciclando em capacitações e oficinas para melhorar e ampliar seus conhecimentos.
A menina/artista venceu as atribulações da infância e se tornou Mulher, dançarina, arte educadora, coreógrafa, mãe, esposa, além de outras atribuições que a vida vai lhe ensinado a desenvolver. Hoje é mãe de Alisson Guilherme e Maria Sophia; “eles são a minha vida e ao meu esposo Jefferson Lima, agradeço pelo apoio em minhas decisões e por está sempre a meu lado. Também, agradeço muito a Cléo e a Domá que carinhosamente chamo de pais pela pessoa que sou e que eles ajudaram a formar, fui incentivada a correr atrás de meus objetivos para conseguir vencer na vida, terminei o ensino médio e estou cursando a Faculdade de Serviço Social, isso por incentivo deles e de todos que fazem a Fundação Cultural Cabras de Lampião”. Relata categoricamente.

Ela se diz empolgada com essa busca pelo ensino superior, neste em que completa 16 anos que integra a FCCL; “sou coordenadora do Museu do Cangaço e estou no segundo mandato de 4 anos da diretoria executiva da Fundação como secretária e agradeço aos mentores pela confiança e por acreditarem no meu talento e capacidade, não é atoa que digo são minha família”.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Mês das Mulheres: O legado cultural de Cleonice Maria para Serra Talhada

 


Se você percorre a cidade de Serra Talhada, com certeza já deve ter presenciado alguma apresentação artística do Grupo Cabras de Lampião não é mesmo? Pois bem, hoje o grupo comemora seus 22 anos de muitas histórias e muita estrada, mostrando o que há de bom na terra de Lampião, através da arte. Por todas as regiões do Brasil e em algumas cidades do exterior, esse grupo fantástico pode levar um pouquinho de cada um de nós, nordestinos e guerreiros.
Mas nada disso seria possível se não tivesse um Maria por trás. Um Maria como tantas outras. Mas uma Maria forte e sobrevivente. Sobrevivente da falta de oportunidade, sobrevivente do preconceito e sobrevivente da falta de incentivo.
CLEONICE MARIA DOS SANTOS
Filha do casal de pequenos agricultores Sr. Severino e Dona Anália, Cleonice iniciou a sua militância cultural muito jovem juntamente com seus irmãos Edvaldo e o saudoso Gilvan. Brincando de fazer teatro, esses três jovens foram provocados pelo padre da paróquia do Alto da Conceição a apresentarem um peça na igreja. Daí em diante, essa Maria guerreira nunca mais parou. A jovem humilde que nunca havia assistido a uma peça de teatro, tampouco estudado sobre o assunto, protagonizava cenas importantes na história da cultura de Serra Talhada.
Vários grupos de bairros diferentes foram se conhecendo, se misturando e se envolvendo nessa forma simples de fazer arte. Certo dia, Maria conheceu Domá, ou melhor, Anildomá Willans, um cara um pouco mais experiente em teatro, e quem Maria se deslumbraria, não só pela arte que Domá fazia, mas pelo sentimento de companheirismo e cumplicidade entre o casal. Crescente e forte a cada dia. Nascia então o Grupo de Xaxado Cabras de Lampião, hoje, a mais importante instituição cultural do município de Serra Talhada.

“O teatro sempre foi minha paixão. Lembro de inúmeras vezes, grávida, perto de ganhar neném, apresentando uma peça e as pessoas me questionando. Já com filho pequeno acompanhando o trabalho dos pais e a sociedade nos chamando de loucos, ‘como pode uma criança deste tamanho na rua essa hora’. Mas foi nossa decisão. Eu e Domá decidimos juntos que viveríamos de arte e foi o que fizemos a vida inteira. Sustentamos nossos filhos e mantemos nossa família com arte e deu certo”.
O mês de março é triplamente especial para essa Maria. É o mês da mulher, e ela se destaca, por fazer arte num lugar onde não se tinha oportunidades, onde a sociedade machista apontava outras realidades para as mulheres e Cleonice, com muita confiança no que fazia, mostrou que é possível sim, ser mulher, mãe, esposa e ser artista. No mês de março é comemorado seu aniversário e o mês de março comemoramos juntos o início das atividades da fundação Cabras de Lampião.
Cleonice tem uma longa folha de serviços prestados à cultura de Serra Talhada, como atriz, dançarina e coreografa do mais brilhante grupo de Xaxado de que se tem notícia. Atualmente, ela vem gerenciando a Fundação Cultural Cabras de Lampião – mostrando mais uma vez que mulher tem pulso forte sem “perder a ternura jamais” para cuidar e bem da grande estrutura que se tornou a fundação.
“Em toda a minha vida cultivei três grandes paixões. Minha família em primeiro lugar sempre, a Cultura como meu objetivo de vida e o Partido dos Trabalhadores – PT, como mecanismo de luta e solidariedade com as minorias”.
Cleonice encontrou tempo para se dedicar aos estudos e formou-se em História pela Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada, sendo aprovada com louvor. Diga-se que seu tempo sempre foi muito curto porque ser dona de casa, cuidar de marido, dois filhos e netos “não é mole” – como ela sempre diz.
Nossa homenagem de hoje é para essa mulher maravilhosa, que dedica seu tempo fazendo o que mais gosta – servir à cultura. Primeiramente Feliz dia das Mulheres, Feliz aniversário (12/03), e finalizamos dando os Parabéns à essa cangaceira da cultura pajeuzeira, Cleonice Maria, por comandar a Fundação Cabras de Lampião com tanta competência e dedicação, sempre com esse sorriso largo no rosto

terça-feira, 14 de março de 2017

AÇÃO INCENTIVA O EMPREENDEDORISMO DE ARTISTAS, ENTIDADES CULTURAIS E PONTOS DE CULTURA PERNAMBUCANOS

Boa notícia para os artistas, entidades culturais e Pontos de Cultura que desejam tirar dúvidas sobre editais – como o Funcultura – ou querem se capacitar melhor para a gestão e sustentabilidade de seus empreendimentos. O Programa Pernambuco Criativo vai iniciar as atividades do Birô de Negócios da Cultura nesta segunda-feira, 13 de março. Os interessados serão atendidos de segunda a sexta, das 13h às 17h, na Cela 304, situada no Raio Leste, 2º piso do Casa da Cultura.
As atividades ocorrem por meio de um convênio entre a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e o Ministério da Cultura (MinC). O atendimento será feito por estudantes de mestrado, com experiência no mercado, e o agendamento deve ser feito pelo e-mail pecriativofundarpe@gmail.com. Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “a ação resgata uma ideia que norteou a reforma da antiga Casa de Detenção, que era a criação de um centro de formação e apoio aos empreendimentos culturais”. Por meio do Programa Pernambuco Criativo, serão realizadas ainda oficinas, palestras e workshops com temáticas relacionadas às diferentes áreas da economia da cultura.
De acordo com o professor André Marques, da UFPE, “artistas e produtores poderão melhorar seu processo de gestão e capacidade empreendedora, recebendo orientações e/ou assessoramento. Por exemplo, vamos tirar dúvidas sobre a formalização de negócios, definição de preço dos produtos e tudo o que for mais relevante à atividade profissional do agente cultural”. Se houver necessidade, os interessados serão encaminhados para órgãos específicos, tais como SEBRAE, Junta Comercial, cartórios, instituições oficiais do Município ou do Estado.
O Birô também divulgará as oportunidades (editais, capacitações, formações) realizadas no campo da Cultura pelos parceiros institucionais da Secult-PE / Fundarpe e de outros  órgãos públicos e privados.
TERRITÓRIOS DE CRIAÇÃO

A proposta é tornar a Casa da Cultura o polo-âncora dos Territórios de Criação dos bairros da Boa Vista, São José e Santo Antônio (incluindo os Coelhos). “Existe no país e no mundo toda uma discussão sobre a requalificação dos centros urbanos. A cultura e os artistas sempre foram elementos indutores de revitalização desses espaços, por isso queremos ampliar a visibilidade a estes setores, que ainda hoje sofrem com um histórico de segregação”, afirma Marcelino Granja, Secretário Estadual de Cultura.

PONTOS DE CULTURA
Espaços de estímulo às ações culturais das comunidades, com inclusão social e cidadania, os Pontos de Cultura serão convidados para mais uma atividade do Programa Pernambuco Criativo: um serviço de assessoria técnica, com foco em gestão, modelos de negócios e orientação para a prestação de contas.

SERVIÇO
Birô de Negócios da Cultura – Programa Pernambuco Criativo na Casa da Cultura
Quando: Entre os dias 13 de março e 30 de junho, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h
Local: Casa da Cultura Luiz Gonzaga – Cela 304, Raio Leste, 2º piso – Santo Antônio – Recife
Informações: (81) 3184.3020 / pecriativofundarpe@gmail.com


Para Silvana Meireles, Secretária Executiva Estadual de Cultura, “estes territórios criativos são bem diversos e têm características, potencialidades e realidades culturais intensas, que queremos fortalecer, atrair e, dessa forma, consolidarmos a Casa da Cultura como um polo de formação e projeção dessas iniciativas”.
Os agentes culturais que são microempreendedores (MEI) também são público-alvo das ações.
“Este núcleo que estamos colocando na Casa da Cultura terá um forte papel inovador. Estamos começando uma pesquisa em parceria com a UFPE, no âmbito do convênio, para identificar o potencial de inovação dos Pontos de Cultura de Pernambuco. A partir disso, pela primeira vez, estes Pontos vão receber um suporte continuado para o desenvolvimento de suas competências criativas”, celebra a Gerente de Formação da Secult-PE, Tarciana Portella.
Fonte: CulturaPE

quinta-feira, 9 de março de 2017

A 22 NASCIA O GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO POR ONDE JÁ PASSOU DEZENAS DE JOVENS E TALENTOSOS DANÇARINOS


 
O Grupo de Xaxado Cabras de Lampião trouxe os cangaceiros para frente das luzes e o cangaço se transformou num espetáculo com uma nova e revolucionária imagem do rei do cangaço. Sua apresentação conduz o espectador a um mergulho na dança dos bandoleiros do sertão nordestino e mostra o talento de jovens serra-talhadenses em um ritmo marcado pelo chiado e arrastado da chinela. Jovens esses que aprendem no grupo não só a dança, mas informações gerais sobre a cidade, o fato história, a origem da dança, relação grupal e interpessoal e conhecimentos afins, são estimulados ao estudo/educação regular e a se profissionalizarem.   
Tendo acontecido sua estreia em 20 de março de 1995 no coreto da Praça Dr. Sérgio Magalhães, mais pesquisa, ensaios e uma ferrenha, porém necessária preparação se deu antes dessa data; o grupo tem musica ao vivo e é hoje o maior divulgador desse ritmo tão nordestino e que foi propagado por Lampião e seus cangaceiros, mantendo a originalidade e autenticidade conforme criada pelos bandoleiros do sertão; nesses 22 anos o grupo já percorreu todas as regiões do Brasil.
Xaxado dos Cabras de Lampião - O Xaxado (Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, de acordo com a Lei Estadual 13.776 publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco em 26/09/2009) é uma dança de guerra e entretenimento criada pelos Cangaceiros de Lampião no inicio dos anos vinte, do século passado, em Vila Bella (atual Serra Talhada) e seus arredores. Ainda na época do Cangaço tornou-se popular em todos os bandos de Cangaceiros espalhados pelo nordeste.
Ao se registrar o grupo de danças se confira FUNDAÇÃO CULTURAL CABRAS DE LAMPIÃO que ora realiza grandes eventos no município e mantém o Museu do Cangaço que recebe visitantes e turistas de todas as partes do planeta em busca de conhecer melhor a fascinante história do cangaço, Lampião e seus feitos. O mês é de celebração da cultura popular, da arte e dos feitos desse bando da Cultura do Nordeste que com bravura defende o legado histórico, artístico e cultural desse pedaço da história do Brasil.




segunda-feira, 6 de março de 2017

200 ANOS DA REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA


200 ANOS DA REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA - 6 de março de 1817. A chamada
Revolução Pernambucana, também conhecida como Revolução dos Padres,
foi um movimento emancipacionista que eclodiu em 6 de março de 1817,
na então Capitania de Pernambuco, no Brasil.

AÇÃO CINECLUBISTA EM AFOGADOS DA INGAZEIRA

Divulgação
Uma nova opção de entretenimento tem levado a sétima arte até as crianças de Afogados da Ingazeira. Trata-se do Cineclubinho Pajeú, um projeto incentivado pelo Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, e que realiza sessões de cinema gratuitas com filmes infantis, no Cineteatro São José. O encontro foi neste domingo (5), às 17h.
Como se trata de um cineclube, os filmes selecionados não são os chamados comerciais, tradicionalmente exibidos em TVs ou lançados em DVDs. “São filmes nacionais, com temáticas instrutivas, pedagógicas, inclusivas, sempre voltados para a formação do público infantil”, explica a professora Veratânia Morais, da equipe do Cineclubinho. “Contamos ainda com auxílio de profissionais especializados nos momentos de apresentação e debates, a exemplo da psicóloga Dayseane Liberal, que esteve conosco em uma das primeiras sessões,” conclui.
De acordo com Dayseane Liberal, a escolha da programação e do local se deu como forma de suprir a demanda da agenda cultural infantil. “A programação é quase sempre voltada para o público adulto e exclusivamente noturna. Por isso, pensamos em suprir essa carência, valorizando este espaço cultural e disponibilizando alternativas de entretenimento educativo direcionada às crianças, por meio do projeto”, comenta a produtora cultural. Esta é a quinta sessão do ano, que se repetem nos primeiros e terceiros domingo de cada mês. A próxima está marcada para o dia 19 de março.
FONTE: culturape

quinta-feira, 2 de março de 2017

2º PRÊMIO ARIANO SUASSUNA DE CULTURA POPULAR E DRAMATURGIA RECEBE INSCRIÇÕES ATÉ O DIA 13 DE MARÇO

Em sua segunda edição, o Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia vai destinar recursos na ordem de R$ 151 mil para incentivar a produção dramatúrgica de Pernambuco, por meio da publicação de textos inéditos, e estimular ainda a preservação das nossas expressões culturais mais populares.
Motivado pelo inestimável legado deixado por Ariano na cultura brasileira, o edital recebe inscrições de 02 de janeiro a 13 de março de 2017, e o resultado será anunciado em 16 de junho, data em que o mestre completaria 90 anos.
“A potência e a relevância do Prêmio já foram constatadas em sua primeira edição, que reconheceu propostas de diversas regiões do estado e premiou mestres, mestras, grupos e artistas que representam a base de formação da nossa identidade cultural”, comenta o Secretário Estadual de Cultura Marcelino Granja.
No campo da Cultura Popular, serão distribuídos até oito prêmios, que poderão somar um total de R$ 100 mil. O segmento está dividido em duas categorias: “Mestres e Mestras dos Saberes e Fazeres” e “Grupos/Comunidades”. Para cada categoria, estão previstos quatro prêmios, sendo um para cada macrorregião do Estado: Mata, Agreste, Sertão e Região Metropolitana do Recife. Na categoria Mestres e Mestras dos Saberes e Fazeres, os selecionados receberão premiação no valor de R$ 10 mil. Já na segunda categoria, os grupos e as comunidades serão contemplados com o valor de R$ 15 mil cada um, distribuídos entre as quatro macrorregiões.
Poderão concorrer mestres, grupos ou comunidades de Pernambuco. O prêmio será destinado a práticas já desenvolvidas e que valorizam a transmissão dos saberes e fazeres da cultura popular no estado. As inscrições deverão ser entregues na sede da Secult-PE/Fundarpe ou enviadas pelos Correios (Sedex).
Já no segmento de Dramaturgia, o prêmio está dividido nas categorias “Teatro Adulto”, “Teatro de Formas Animadas” e “Teatro Para Infância e Juventude”. Haverá até duas premiações para cada uma delas, sendo R$ 10 mil para os primeiros lugares e R$ 7 mil para os segundos lugares, totalizando R$ 51 mil. Cada proponente poderá participar com apenas um texto original, inédito, em língua portuguesa, não publicado e não encenado até o encerramento do certame.
Todas as candidaturas ao 2º Prêmio Ariano Suassuna serão analisadas por uma Comissão de Seleção, composta a partir de uma convocatória pública e nomeada em portaria conjunta da Secult-PE/Fundarpe.
Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “um dos trunfos do prêmio é o estímulo ao surgimento de novos textos para o teatro pernambucano, marcado pela força de sua produção e pelo talento de seus realizadores”.
A partir de janeiro, uma série de oficinas gratuitas vai apresentar o edital para artistas, produtores e grupos culturais das quatro macrorregiões do Estado.
Confira aqui o Edital e seus Anexos.
FONTE: culturape.com